Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Mesmo em alta, Muricy brinca e diz ter saudade de vagabundear

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Nove dias depois de voltar ao batente, Muricy Ramalho contrariou, em tom de brincadeira, seu próprio slogan. Ao final da vitória de quarta-feira sobre o Atlético-MG, a qual fez o São Paulo se distanciar três pontos da zona de rebaixamento, o treinador deixou de lado o "Aqui é trabalho" para mostrar saudade dos mais de três meses em que ficou desempregado, sem fazer nada.

"Eu estava bem em Ibiúna, nunca tinha feito isso que estava fazendo. Eu só comia carne e bebia cerveja. Ser vagabundo é muito gostoso. Foi ótimo. Mas falei 'tudo bem, Seu Juvenal, vou dar uma força aí'", disse, rindo, referindo-se à casa de veraneio que mantém a pouco mais de 60 km da capital paulista.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Água na boca: treinador voltou a lembrar do tempo em que, desempregado, só comia e bebia cerveja
Desde que foi apresentado como substituto de Paulo Autuori, na terça-feira da semana passada, Muricy ainda não teve nem um dia de folga sequer para voltar a assar carne e se embebedar. Também não terá até o próximo compromisso, contra o Goiás, no domingo.

"Se a gente tivesse o fim de semana livre, dava para fazer um churrasquinho, mas já vamos treinar amanhã (quinta-feira). Foi tudo bem até agora, mas já precisamos ganhar de novo em Goiânia, outro jogo duríssimo. Não dá ainda para comemorar. Vamos comemorar quando sairmos desse sufoco", alertou.

Apesar da rotina cansativa de trabalho, Muricy tem obtido resposta positiva com o time, que pela primeira vez venceu três partidas seguidas no Campeonato Brasileiro, e está em alta com a torcida. Assim como no compromisso anterior no Morumbi, o tricampeão brasileiro teve seu nome gritado antes, durante e depois do jogo.

"Na minha estreia, quando o jogador viu aquele povo todo gritando meu nome, viu que tinha alguma coisa de diferente. Isso é importante. E, não é crítica nem nada, mas estava faltando um pouco mais dos jogadores também. Não é (a mudança do) técnico, é o jogador", opinou, ao fim de mais um dia feliz, mas sem picanha e álcool.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade