Futebol/Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

No banheiro quando foi chamado para jogar, Valdivia agradece Verdão

William Correia São Paulo (SP)

A volta de Valdivia ao Palmeiras, após dois jogos como desfalque por estar com a seleção, teve um problema inusitado. Quando Gilson Kleina decidiu chamá-lo para entrar no segundo tempo da vitória sobre o ASA, nesta terça-feira, o meia estava no banheiro enquanto os colegas se aqueciam. Mas o jogador, encontrado a tempo, jogou e, após o apito final, agradeceu ao clube.

O chileno se apresentou com atraso à pré-temporada do Verdão avisando que sua prioridade no ano seria a seleção. Foi convocado quatro vezes, atuando como titular na sexta-feira pela primeira vez por seu país desde 2011 e como destaque na vitória por 3 a 0 sobre a Venezuela, pelas Eliminatórias. Jogou tão bem que o técnico Jorge Sampaoli abriu mão de seu futebol no amistoso contra a Espanha. E o Mago reconheceu a importância do clube nisso.

“Devo muito ao Palmeiras”, disse o camisa 10, sem esquecer, porém, de Sampaoli, que viu pessoalmente até jogo da Série B para analisá-lo de perto. “Agradeço também à confiança do treinador do Chile, por ter me esperado e mandado alguém ao Brasil para ficar em cima do tratamento e me cuidar também. Tudo isso me deixa feliz.”

A felicidade apareceu também em um sorriso tímido para admitir que não estava se aquecendo quando Kleina, aos 15 minutos do segundo tempo, mandou chamá-lo – Valdivia só entrou cinco minutos depois. “Eu estava no banheiro quando me chamaram”, confessou.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Gilson Kleina chamou Valdivia, mas o meia estava no banheiro enquanto os outros jogadores se aqueciam
Em meio a xingamentos vindos da organizada Mancha Alviverde e gritos de incentivo de outros torcedores, Valdivia não cansou de lembrar da seleção enquanto deixava o campo do Pacaembu. “Foi bom jogar depois de voltar da seleção. Quando fui embora, falei que estava feliz por ter voltado à seleção e agora espero não sair mais”, comentou.

Participar como titular de uma importante vitória pelas Eliminatórias esteve mais presente no discurso do meia do que o triunfo, também por 3 a 0, sobre o ASA nesta terça-feira. “Fui meio que novo para lá, fazia tempo que eu não jogava. Mas voltei, joguei bem, ganhamos, ficamos em terceiro lugar. A gente (o Chile) ganhou, né? É sempre positivo ganhar”, indicou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade