Futebol/Brasileiro Série B - ( )

Palmeiras ainda se recusa a iniciar contagem regressiva para acesso

William Correia São Paulo (SP)

Com a vitória sobre o ASA nessa terça-feira, o Palmeiras não só abriu cinco pontos de distância para o vice-líder na Série B do Brasileiro como ampliou para 15 a vantagem na pontuação em relação ao quinto colocado, primeiro fora da zona de acesso. Neste ritmo, é possível imaginar o acesso no início de novembro, com cinco rodadas de antecedência. Mas ninguém no Verdão aceita falar no assunto ainda.

Mesmo Fernando Prass, jogador mais habituado a olhar a tabela, se recusa a fazer previsões com 17 jogos a serem disputados. “Não fiz as contas e prefiro não fazer. Se você pensa à frente e deixa pontos pelo caminho, toda a matemática vai por água abaixo. E estamos em um calendário muito desgastante não só na parte física, mas psicológica. Se deixar gastar a parte psicológica com outra coisa, complica.”

As palavras do goleiro são rigorosamente seguidas por todos. “Pensamos em ganhar jogo a jogo. Não trabalhamos com hipótese, só em ganhar cada jogo para ter um final de ano feliz”, comentou Wesley. “O importante é somar o maior número de vitorias que pudermos, principalmente em casa, para voltar o mais rápido o possível para a Série A”, simplificou Márcio Araújo.

Como comandante, Gilson Kleina também contém qualquer cálculo. O discurso do técnico, que sempre disse priorizar a distância para o quinto colocado em vez de administrar a liderança, é em relação à necessidade de o Verdão fazer a sua parte. Foi assim que o time aproveitou as derrotas de Chapecoense e Paraná na última rodada para disparar.

“Queremos o acesso antecipado, mas não adiantava nada a rodada nos privilegiar se não fizéssemos a nossa parte. Precisamos seguir nessa pegada, manter essa batida, estar com o foco bem alinhado. Em todo jogo, necessitaremos de muita motivação. Vamos enfrentar no sábado o América-MG, que está querendo entrar no G-4”, ressaltou o treinador.

Djalma Vassão/Gazeta Press
"Pensamos jogo a jogo. Não trabalhamos com hipótese, só em ganhar para ter um final de ano feliz", diz Wesley

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade