Futebol/Bastidores - ( )

Palmeiras volta à Ressacada dois anos após último jogo de Marcos

Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

A partida contra o Avaí, nesta terça-feira, tem um significado diferente para o torcedor do Palmeiras. Há dois anos, o ídolo Marcos disputou no estádio da Ressacada sua última partida como jogador profissional, sem saber que nunca mais vestiria a camisa alviverde em disputas por três pontos.

O jogo que encerrou a trajetória do goleiro foi realizado no dia 18 de setembro de 2011 e terminou empatado por 1 a 1, quando o Verdão ainda lutava pela aproximação ao G-4 do Campeonato Brasileiro (não atingiu o objetivo e terminou no meio da tabela). Nesta terça, um dia antes de completar os dois anos daquele compromisso, o Palmeiras retorna à Ressacada em campanha tranquila na Série B do Campeonato Brasileiro.

Ao término daquele duelo, que teve até gesto obsceno do técnico Luiz Felipe Scolari a torcedores palmeirenses que criticavam a equipe, o goleiro lamentou o placar, apesar de o time ter jogado com dois atletas a menos depois das expulsões de Rivaldo e Gerley. “Não foi o ideal para nosso campeonato, porque praticamente demos adeus ao título”, lamentou o ídolo, sabendo que aquele Brasileirão era a sua última oportunidade de troféu.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Depois de fazer seu último jogo oficial em 18 de setembro de 2011, Marcos ainda teve partida festiva no ano passado
Marcos só não contava que havia encerrado ali sua carreira. A despedida aconteceu no estádio de Florianópolis porque o ídolo alviverde não teve mais condições físicas de entrar em campo naquela temporada. Depois do retorno à capital paulista, o camisa 12 foi entregue ao departamento médico, para tentar diminuir os problemas no joelho esquerdo. Inicialmente, a ideia no clube era de que o goleiro precisaria de alguns dias de reforço, para então voltar a jogar, mas a dor não deu trégua.

Enquanto seguia em tratamento, Marcos já pensava no futuro, lançando uma clínica de fisioterapia justamente naquela época. No evento, o então goleiro aproveitou para apontar Deola como seu provável sucessor no Verdão, já que o jogador vinha o substituindo na meta palmeirense. Porém, a previsão não se concretizou, e o atleta deixou o Verdão no ano seguinte, dando espaço a Bruno, que também não convenceu. Por isso, Fernando Prass foi contratado para, enfim, acabar com as incertezas no gol em 2013.

Desde o jogo na Ressacada, Marcos criou esperanças de entrar em campo outras vezes e até chegava a treinar com o elenco, mas sentia o reflexo no dia seguinte e invariavelmente era vetado para as partidas. Felipão, então, repetia o discurso de que acreditava na aposentadoria do atleta ao término da temporada. Porém, antes da última rodada do Brasileirão, o treinador usou o nome de Marcos para tentar pressionar o Corinthians, que lutava pelo título.

Na última entrevista antes do Derby, o treinador afirmou que pensava em escalar o goleiro, que teve carreira marcada por vitórias sobre o rival. Porém, Marcos não teve mesmo condições de atuar, e o empate por 0 a 0 garantiu o título ao Alvinegro.

Assim que o clássico acabou, os palmeirenses foram liberados para as férias, com reapresentação marcada para 4 de janeiro, quando Marcos confirmou oficialmente o fim de sua carreira em conversa com a diretoria. A partir daí, o ídolo virou embaixador palmeirense em eventos, realizando ainda um jogo festivo de despedida no dia 11 de dezembro de 2012.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade