Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Ralf se atrasa a treino com muita conversa entre Tite e jogadores

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Ralf chegou atrasado em cerca de 30 minutos ao treino do Corinthians na tarde de sexta-feira. Ele conversou rapidamente com o gerente de futebol do clube, Edu Gaspar, e foi a um dos campos do CT do Parque Ecológico participar de uma reunião comandada pelo técnico Tite.

A conversa durou por volta de 20 minutos, e o treinador foi quem mais falou. Houve a presença de Edu, dos principais dirigentes do departamento de futebol alvinegro, Roberto de Andrade e Duílio Monteiro Alves, e até dos jogadores machucados, que deixaram o departamento médico para ouvir o que tinha de ser dito.

Terminado o papo, o Corinthians deu sequência à sua preparação para a partida contra o Goiás, no domingo, no Pacaembu. Alessandro, Gil, Paulo André, Danilo e Emerson, mais desgastados, apenas correram. Fábio Santos, em recuperação de pubalgia, calçou suas chuteiras e esteve na atividade técnica, alimentando a esperança de que pode retornar.

Divulgação/Agência Corinthians
Tite falou bastante na reunião com os atletas; voltar à Libertadores é a meta (foto: Daniel Augusto Jr.)
Marcaram presença no campo os machucados Guilherme e Guilherme Andrade. Ainda sob cuidados dos fisioterapeutas do Corinthians, eles fizeram um trabalho com bola, avançando na recuperação dos problemas físicos que tiveram.

Os Guilhermes ainda estão longe do retorno, mas Tite voltará a contar no domingo com Alexandre Pato e Paolo Guerrero, que estavam a serviço de suas seleções. Com eles, o treinador espera findar o jejum de três gols do ataque alvinegro.

Credibilidade
Terminado o treino, Tite falou brevemente sobre o atraso de Ralf, pago em forma de caixinha para os funcionários do clube. A justificativa do volante, um problema de trânsito, foi aceita pelo treinador, que citou o seu bom histórico como um atenuante.

"Teve um engarrafamento acentuado, uma situação perto da casa dele. Está errado, e teve a punição da caixinha. O que ele tem a favor é que, nos três anos em que estou aqui, talvez isso tenha acontecido duas vezes. Ele tem credibilidade", disse o treinador.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade