Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Reunião na Fifa sela a paz entre Israel e Palestina no futebol

Zurique (Suíça)

Israelenses e palestinos poderão começar a se entender a partir de agora, pelo menos no futebol. Uma reunião na manhã desta terça-feira, na sede da Fifa, em Zurique (Suíça), selou um acordo entre as federações dos dois países, facilitando as relações de ambos no esporte mais famoso do mundo.

A entidade máxima do futebol, através do presidente, Joseph Blatter, criou uma força-tarefa para desenvolver a modalidade nos dois territórios, principalmente no da Palestina. A circulação de jogadores, técnicos, árbitros, funcionários e equipamentos será facilitada pelos Países.

A Federação Israelita de Futebol (IFA) e a Associação Palestina de Futebol (PFA) se comunicarão através de um representante oficial, mas sempre com o monitoramento da Fifa. Os dois órgãos também acertarão um “memorando de entendimento” em breve, como explicou a assessoria de imprensa da Fifa.

“O fato das duas partes concordarem em participar da força-tarefa já foi um sinal de boa vontade. Estou muito feliz com esse encontro, que leva uma proposta de desenvolver o futebol na Palestina. É minha esperança que o futebol contribua para conectar pessoas destes Países”, comemorou Blatter.

Divulgação/Fifa
Israelenses e palestinos selaram a paz no futebol após reunião nesta terça
Além de Blatter, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, e os presidentes da Uefa, da IFA e da PFA, Michel Platini, Avi Luzon e Jibril Rajoub, respectivamente, também participaram do encontro desta terça. Ao final da reunião, Luzon e Rajoub tiraram uma foto apertando as mãos.

A diferença entre Israel e Palestina no futebol pode ser clara no ranking de seleções da Fifa, em que a primeira aparece na 63ª colocação, e a segunda, na 150ª. Os israelitas até poderão se classificar para a próxima Copa do Mundo, já que estão na terceira posição do Grupo F das Eliminatórias.

Polêmica: tudo começou quando a PFA acusou a IFA de dificultar a prática do futebol na Palestina, impedindo a entrada e saída de esportistas etc.. Jibril Rajoub havia pedido que a Fifa mostrasse o “cartão vermelho” para Israel, excluindo a federação do seu quadro.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade