Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Sem ilusão de golear, Corinthians espera repetir atuação de domingo

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Até o último final de semana, o Corinthians ainda não havia feito mais do que dois gols em nenhuma partida do Campeonato Brasileiro. Os jogadores e o técnico Tite gostaram bastante do desempenho na goleada por 4 a 0 sobre o Flamengo na 17ª rodada, mas sabem que o placar largo foi excepcional.

Por isso, mais do que buscar resultados semelhantes, o plano é buscar um desempenho de mesmo nível. O jogo da próxima quarta-feira, por exemplo, contra o Internacional, no Sul, tem uma dificuldade teórica bem maior. Apresentar algo parecido com o futebol exibido no domingo, porém, provavelmente resultará em vitória.

“Repetir a atuação, sim, é o que queremos. Com um número alto de gols, acho difícil. O Brasileiro é um campeonato difícil, cheio de clássicos. Repetir a atuação é o nosso objetivo, mas conseguir essa diferença no placar é difícil”, afirmou o lateral esquerdo Fábio Santos.

O problema é que essas atuações não têm sido constantes. Ainda que a equipe venha em uma boa sequência de resultados no Nacional, o desempenho oscila entre jogos como a vitória injusta – e com gol ilegal – sobre o Coritiba, o péssimo empate com o Santos e o massacre para cima do Flamengo.

Divulgação/Agência Corinthians
A consistência defensiva foi tão valorizada quanto os gols do último domingo (foto: Daniel Augusto Jr.)
Especialmente fora de casa, os empates vêm sendo o resultado mais comum. O Corinthians terminou o jogo com um ponto em oito ocasiões no Brasileiro, número inferior apenas aos nove do Internacional, justamente o próximo adversário. Não será nenhuma surpresa novo resultado do tipo no Sul.

“É óbvio que a gente gostaria de estar com um número de vitórias maior. Mas, conseguindo empatar fora e ganhar em casa, certamente estaremos entre os quatro primeiros, brigando pelo título até o final. Se continuar somando pontos, a gente vai brigar”, comentou Fábio Santos.

Assim, abrir mão da, de longe, melhor defesa da competição, não está nos planos. Mesmo em uma goleada como a de domingo, não buscar bolas na rede foi muito valorizado. “Não é muito normal uma vitória por três ou quatro gols, foge daquilo a que estamos acostumados. Sem dúvida, é bom, ainda mais sem sofrer gols.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade