Futebol - ( - Atualizado )

Sem protestos, Corinthians volta a SP no mesmo voo da Portuguesa

Marcos Guedes Guarulhos (SP)

Goleado pela Portuguesa no último domingo, em Campo Grande, o Corinthians retornou de Mato Grosso do Sul no mesmo voo da delegação rubro-verde. Havia apenas curiosos à espera da equipe, que não encarou maiores protestos no aeroporto de Cumbica e só teve de lidar com algumas gozações.

Tite foi o primeiro a aparecer no saguão, cercado de seguranças. O treinador preferiu não conceder entrevistas, repetindo o que havia feito logo após a derrota, e o clube informou que ele vai se pronunciar após o treino de terça-feira, no CT do Parque Ecológico. Na atividade de segunda, portões fechados.

A maior parte dos jogadores passou calada até o ônibus do time. Pararam para dar algumas explicações os mesmos personagens que haviam assumido a responsabilidade em Campo Grande. O gerente de futebol, Edu Gaspar, e os jogadores Alessandro e Emerson lamentaram a fase negativa e prometeram reação.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Escoltado, Alexandre Pato adotou o tradicional silêncio no retorno do Corinthians a São Paulo
“A gente tem que ter a humildade de reconhecer que o momento não é bom e trabalhar”, resumiu o Sheik, enquanto um torcedor batia em seus ombros: “Você é o melhor, Corinthians campeão”. Ao mesmo tempo, não corintianos aproveitaram para tripudiar, gritando o nome da Portuguesa.

Quatro homens vibraram com a presença das câmeras de televisão e fizeram o que estava ao seu alcance para aparecer. Eles se juntaram em volta do ônibus da Portuguesa – um deles vestia uma camisa do Palmeiras, do goleiro Marcos – e ensaiaram rimas como “eô, eô, o Gilberto é um terror”.

Gilberto foi o autor de três gols no triunfo rubro-verde por 4 a 0. Foi a oitava partida consecutiva sem vitória do Corinthians, que só marcou um gol na sequência. A equipe do Parque São Jorge tentará reagir na quarta-feira, em partida contra o Bahia, marcada para Mogi Mirim.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade