Futebol/Campeonato Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Sob chuva, Avaí bate Joinville e joga ‘balde de água fria’ no rival

Joinville (SC)

A chuva castigou, e prejudicou o confronto catarinense da noite desta sexta-feira, mas o gramado encharcado não foi o suficiente para impedir a vitória do Avaí, que volta a sonhar com uma vaga no G-4 da Série B do Campeonato Brasileiro. A equipe de Florianópolis viajou ao interior do estado, encarou o Joinville em uma Arena que recebeu um bom público e foi letal quando os anfitriões falharam, vencendo por 2 a 1 fora de casa.

Apesar da pressão do time da casa, o Avaí se comportou bem na Arena e garantiu a vitória sendo objetivo em lances pontuais. No primeiro tempo, Héracles aproveitou o erro da defesa para fazer o primeiro. Já na etapa complementar, Beto aproveitou o cruzamento na área, venceu o gramado encharcado e garantiu os três pontos para o Leão. Já nos acréscimos, Martin Liguera diminuiu a vantagem, mas já era tarde.

Com a vitória, o Avaí encosta no G-4 e reanima as esperanças de seu torcedor com relação ao acesso à primeira divisão. O time de Florianópolis abre a rodada na 7ª posição, com 37 pontos. O Joinville, por sua vez, mesmo com o revés, ainda está na zona de classificação á elite. Com 41 pontos somados, o JEC é o quarto colocado.

Para voltar a embalar na Série B e deixar a derrota em casa para trás, o Joinville volta a jogar na Arena na próxima sexta-feira, às 19h30 (de Brasília), contra o Guaratinguetá. O Avaí, por sua vez, tenta seguir com esperanças de chegar ao acesso e visita o América-MG no dia seguinte, às 16h20, no Independência.

Arte GE.Net
sasaa
O jogo - O clima na Arena Joinville era de uma verdadeira decisão na Série B. Para acompanhar o duelo catarinense, a torcida da casa fez sua parte. Afinal, era a chance dos anfitriões se consolidarem no G-4, ficando cada vez mais fortes na briga pelo acesso. Do outro lado, no entanto, o Avaí apostava suas últimas fichas com o sonho da primeira divisão.

Empurrado por sua torcida, o JEC teve a chance de abrir o placar logo no primeiro lance da partida. Lima foi derrubado dentro da área ao tentar completar um cruzamento e o árbitro marcou o pênalti. O atacante pediu a bola, cobrou com força mirando o canto esquerdo, mas acertou a trave do goleiro Diego.

O erro deixou a partida ainda mais agitada. Cientes da importância da partida, os dois lados proporcionavam jogadas mais ríspidas ao disputarem a bola no meio de campo, os jogadores mostravam bastante aplicação tática, mas estava difícil de ver o placar se movimentar. Mesmo com os anfitriões, a tarefa de balançar as redes coube ao Avaí.

Aos 39 minutos do primeiro tempo, a zaga do Joinville vacilou, Héracles foi mais esperto, roubou a bola de Eduardo e invadiu a área. O lateral canhoto bateu de perna direita e ainda assim acertou um belo chute, sem dar chances ao goleiro Ivan. Antes do intervalo, o JEC tentou igualar o placar, mas os visitantes levaram a vantagem para os vestiários.

No segundo tempo, o duelo catarinense ganhou mais um ingrediente: com muita chuva, o gramado da Arena passou a formar grandes poças d’água e o jogo ficou ainda mais truncado. Sendo assim, a missão do Joinville, que ensaiava uma pressão, ficou ainda mais difícil – estava praticamente impossível trocar bons passes no meio de campo.

Com uma defesa consistente, o Avaí foi letal em uma das poucas chegadas ao ataque e ampliou o marcador com o experiente Beto. Aos 11 minutos, Sandro não conseguiu fazer o corte, a sobra ficou com o atacante, que tocou na saída do goleiro. A bola ‘chorou’ para cruzar a linha, mas venceu o gramado encharcado.

O Joinville ainda foi guerreiro e não desistiu do jogo. O ataque do time da casa seguiu levando perigo ao gol de Diego, que foi importante para o Avaí segurar a vantagem. No fim, a chuva chegou a dar uma trégua, o gramado ficou melhor para o jogo, e os anfitriões marcaram nos acréscimos. Martin Liguera aproveitou o cruzamento na área e descontou no marcador. A reação, no entanto, era tardia.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade