Futebol/Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Time admite má atuação e Kleina se consola: "Ao menos não perdemos"

William Correia São Paulo (SP)

Sob vaias e xingamentos na saída do gramado do Pacaembu, os jogadores do Palmeiras admitiram que não foram bem neste sábado. Com poucas chances reais de gol, o líder da Série B do Brasileiro com folgas não passou do 0 a 0 com o América-RN, que briga para não cair para a terceira divisão. E seu técnico ainda destacou a excelente defesa de Fernando Prass em chute de Adriano Pardal no segundo tempo.

“Quando não conseguimos vencer, pelo menos não perdemos”, consolou-se Gilson Kleina. “Poderíamos até ter feito gol, mas a grande chance foi deles”, prosseguiu o treinador, lembrando a bola que seu goleiro rebateu com o pé quando o adversário chutou em cima dele, aos 31 minutos da etapa final.

Capitão da equipe e mais uma vez convocado para a Seleção Brasileira, Henrique foi um dos mais sinceros em suas palavras. “Não foi um dia bom, não jogamos bem”, disse o zagueiro. “Tentamos, mas não conseguimos furar a defesa deles. Fomos mais na vontade do que na razão. Não fomos bem”, concordou Valdivia.

A avaliação apontou que o time não foi capaz de vencer algo que tem ocorrido com frequência nesta Série B: um rival retrancado. “Não conseguimos traduzir em gol a posse de bola que tivemos, que foi muito alta. Não tivemos um grande número de oportunidade de gol”, apontou Fernando Prass, em análise similar à de Gilson Kleina.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Leandro foi o único a ver boa atuação do time, mas admitindo má performance particular neste sábado
“Não furamos o bloqueio. Tivemos algumas chances, mas a bola não entrou. Eles congestionavam muito o meio, trabalhamos pelos lados e tivemos mais condições de fazer o gol, movimentação, mas não foi o suficiente para sair na frente. Temos que sair na frente para tirar esse ferrolho”, completou o treinador.

Leandro, um dos mais xingados ao ser substituído, foi um dos poucos que viu boa atuação palmeirense, assumindo só a sua apresentação ruim. “O time jogou bem, só não veio o resultado porque não conseguimos quebrar a retranca. Isso é normal, não é porque o Palmeiras é grande que vai ganhar sempre”, apontou, antes de se criticar. “Dei o meu máximo para ajudar, mas concordo que não fui bem. Por isso tem os substitutos, para se alguém não tiver bem eles entrarem e ajudar.”

Sem apontar nomes, Kleina falou que comandados seus jogaram mal – Valdivia foi um deles. “Tem dias que não jogamos o que sabemos, algumas peças foram abaixo do normal, e era importante ter esse diferencial”, apontou, avisando, contudo, que não houve apatia.

“Não podemos negar nossa disposição, roubamos muita bola no campo dele, corremos muitos. Quando não se faz o gol, gera ansiedade, todo mundo sai do setor, facilita para o adversário, mas não tivemos eficiência para fazer o gol”, simplificou o treinador.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade