Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Tite promete persistir e evita falar sobre rebaixamento e demissão

Campinas (SP)

A primeira pergunta feita a Tite na entrevista concedida pelo técnico após a derrota do Corinthians para a Ponte Preta foi sobre rebaixamento. Com quatro derrotas e um empate nas últimas cinco partidas, o atual campeão mundial está a seis pontos da zona da degola à Série B do Campeonato Brasileiro.

O treinador preferiu evitar o assunto, como evitou, em ocasiões anteriores, projeções sobre a chance de conquistar o título. “Estamos acabando um jogo agora. Perdemos o jogo. Vou responder sobre o jogo. Matematicamente, todas as possibilidades podem ser aventadas”, afirmou.

O risco de demissão, rejeitado veementemente em cada pronunciamento da diretoria, também não é um assunto que o agrada. "Eu tenho um trabalho a executar. Se eu for ficar pensando nessas situações, não vou nem fazer meu trabalho. Meu trabalho é tentar achar um ponto de equilíbrio, uma escalação. Esse é o meu foco."

Mantendo o padrão adotado nos bons e nos maus momentos, o gaúcho evitou ainda a repetição das palavras fortes sugeridas nas perguntas, como “inadmissível”. “Não gosto de usar adjetivos, vou deixar respeitosamente isso para vocês. Mas, que o Corinthians é muito grande para isso (a fase ruim), isso é.”

Fernando Dantas/Gazeta Press
Tite também não quis falar sobre a possibilidade de demissão; seu foco é voltar a vencer
O treinador, por fim, disse compreender perfeitamente a insatisfação do torcedor. De acordo com ele, sua sensação com a fase negativa é a mesma da Fiel. A resposta à revolta pela sequência ruim do campeão mundial é uma promessa de esforço no sentido da recuperação.

“Eu respeito o sentimento do torcedor, meu sentimento é tal qual o do torcedor. Tenho dignidade para entender esse sentimento e trabalhar. A primeira coisa é a persistência. Vou persistindo, seguindo e buscando alternativas”, concluiu o comandante alvinegro.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade