Futebol/Campeonato Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Valdivia volta ao Verdão xingado pela Mancha e aplaudido por outros

William Correia São Paulo (SP)

Em seu primeiro jogo no Palmeiras no mês, Valdivia sentiu que ainda divide a torcida. O jogador entrou aos 20 minutos do segundo tempo da vitória por 3 a 0 sobre o ASA, nesta terça-feira, e só apareceu ao chutar uma bola no travessão. Mesmo assim, ouviu intensa festa da maioria dos quase 9 mil presentes. Menos da principal organizada do time.

A Mancha Alviverde, recentemente readmitida nos estádios após entrar em confronto com a Torcida Uniformizada do Palmeiras (TUP), esperou o público diminuir e, quando viu o chileno partindo para os vestiários do Pacaembu, resolveu xingá-lo. Sob palavrões, o jogador mais caro do elenco deixou o gramado, ouvindo a Mancha, logo após insultá-lo, reforçar o nome da organizada, como se estivesse assinando o protesto.

Os torcedores que não faziam parte da Mancha que ainda estavam no estádio vaiaram a organizada, mas timidamente, já que estavam em menor número. Mas quem mais foi ouvido pelo Mago estava no tobogã, gritando que o jogador é “um terror” e aplaudindo-o intensamente.

Antes, Valdivia gerou muitos aplausos e festa ao ser chamado por Gilson Kleina, aos 18 minutos do segundo tempo. Dois minutos depois, as celebrações foram ainda maiores com a sua entrada na partida no lugar do discreto Felipe Menezes. O camisa 10, porém, só deu um chute no travessão, sem aparecer tanto quanto costuma ao ser usado nesta Série B.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Chileno voltou após dois jogos e ouviu intensa festa ao jogar, mas principal organizada o xingou com palavrões
O Mago atuou nesta terça-feira pelo clube apenas porque a seleção chilena o liberou mais cedo, abrindo mão de seu futebol para enfrentar a Espanha em amistoso na Suíça. Valdivia já tinha agradado ao ser titular e dar assistência na vitória por 3 a 0 sobre a Venezuela, pelas Eliminatórias, na sexta-feira, e voltou mais cedo por um acordo entre clube e seleção, de acordo com o gerente de futebol do Verdão, Omar Feitosa.

O meia não foi titular diante do ASA para não se desgastar tanto, como manda o planejamento especial montado pela comissão técnica com aval da diretoria. A expectativa, contudo, é de que ele comece a partida de sábado, contra o América-MG, em Belo Horizonte.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade