Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Vascaínos veem jogo com Galo como 'vitrine' para sair da crise

Gazeta Press Rio de Janeiro (SP)

A derrota de 2 a 1 para o Vitória continua repercutindo nos bastidores de São Januário. O mau resultado manteve o time na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, com apenas 24 pontos conquistados, e deixou evidente alguns problemas internos, como a questão dos atrasos salariais. Para piorar ainda mais o cenário, o jogo do fim de semana caminha para ser uma verdadeira pedreira, uma vez que o rival será o Atlético-MG, campeão da Libertadores, em duelo marcado para este domingo, às 18h30 (de Brasília), no Independência, pela 23ª rodada. Apesar disso, os vascaínos enxergam a partida como uma grande oportunidade de sair da crise.

“Logicamente que o Atlético Mineiro leva vantagem por jogar em casa, contar com o apoio da torcida e estar mais folgado na tabela de classificação. Mas essas dificuldades todas que devemos encontrar em Belo Horizonte devem servir de oportunidade para mudarmos a nossa situação no Campeonato Brasileiro. É muito difícil vencer eles em Minas Gerais, tanto que poucos conseguiram, mas se nós obtermos um resultado positivo, com toda a certeza vamos ganhar embalo para sairmos dessa realidade”, analisou o zagueiro Rafael Vaz.

Outros jogadores do Vasco pensam de maneira parecida. “Sabemos que esse jogo tem tudo para ser muito complicado, já que o Atlético-MG tem uma grande campanha este ano em casa, onde quase não perde. Foi em Minas Gerais que ganhou a Libertadores e, para nós, será uma pedreira. Mas estamos encarando essa partida como uma excelente oportunidade de reagirmos na competição e começarmos a ter um pouco mais de tranquilidade. O momento de tirar o Vasco da zona de rebaixamento é agora”, afirmou o lateral-direito Fagner.

O favoritismo dado ao Galo, inclusive, chega a incomodar alguns jogadores do Vasco. “Não dá para negar que o Atlético-MG, por estar melhor na tabela e por jogar em casa, tem um certo favoritismo. Mas temos que lembrar que são duas equipes grandes que estarão frente a frente e o Vasco nunca pode ser tratado como zebra. Estamos vivendo um Campeonato Brasileiro muito equilibrado, e acredito que podemos ganhar e começar a tirar o time desta situação que se encontra”, afirmou o volante Pedro Ken, um dos jogadores que chegou a falar abertamente dos atrasos salariais.

Em termos de escalação, o Vasco terá um desfalque importante, já que não poderá contar com o atacante André, com seus direitos federativos ligados ao clube mineiro. Assim, o equatoriano Tenorio assume o posto. Sem ter enfrentado o Vitória por questões contratuais, Willie volta a ficar à disposição e pode ganhar a vaga de Marlone, mal contra os baianos.

Fora de campo, a diretoria prometeu aos jogadores que vai quitar dois meses de salários atrasados até o fim da próxima semana. A origem do dinheiro para efetuar esses pagamentos ainda é desconhecida, embora se especula que ele venha do adiantamento de cotas de direitos de transmissão. O presidente Roberto Dinamite tem evitado dar entrevistas para não criar polêmicas, mas tem conversado diariamente com seus vice-presidentes a fim de encontrar soluções rápidas para os problemas emergenciais em São Januário.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade