Futebol/Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Verdão antecipa viagem e treinará fora de São Paulo, mas nega crise

William Correia São Paulo (SP)

Vaiado no 0 a 0 com o Chapecoense no Pacaembu, mesmo com o resultado garantindo a liderança ao final do primeiro turno da Série B do Brasileiro, o Palmeiras encerrará a preparação para o próximo jogo longe de São Paulo. Embora negue crise, o time antecipou a concentração e viajará nesta quinta-feira para Goiás, dois dias antes de enfrentar o Atlético-GO.

Ao se reapresentar na Academia de Futebol nesta quarta-feira, o elenco foi informado de que viajará na quinta-feira para Goiânia, logo após o treino na capital. Na manhã de sexta-feira, o Verdão treinará na capital goiana e embarca para enfrentar cerca de 200 km de ônibus até Itumbiara, local da partida de sábado.

O argumento para a viagem mais cedo, porém, é logístico, já que o trajeto é longo. Mas trabalhar no centro de treinamento do Goiás pode aliviar a pressão sobre Gilson Kleina. O técnico foi o mais xingado pela torcida na terça-feira e ainda mostra abatimento pela bronca pública do presidente Paulo Nobre após a eliminação na Copa do Brasil, há uma semana. Cai sobre ele também, na opinião de quem o critica, a responsabilidade pela atual sequência de quatro jogos sem vitória, sendo três deles pela Série B, principal objetivo do clube no ano.

O jogador mais velho do elenco, contudo, não acredita que se afastar da pressão na capital paulista seja a solução. Escolhido para dar entrevista coletiva nesta quarta-feira, Fernando Prass não criticou a medida, mas se recusou a colocar a ida mais cedo para Goiás como solução para o momento palmeirense.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Time vai mais cedo para Goiás sob o argumento de que a viagem é longa e passará mais tempo concentrado
“Para mim, não faz diferença, sinceramente. Tenho 16 anos de futebol, então posso dizer: se um time grande tiver que sair e se isolar toda vez que receber críticas, vai passar muito tempo longe de casa”, brincou o goleiro, até minimizando a situação. “Não vejo essa pressão e crise toda que falam. Vejo uma cobrança normal porque empatamos em casa e também porque estamos na Série B.”

Prass já foi campeão da Série B com o Vasco, em 2009, e é bem claro: a tranquilidade só atingirá o Verdão em caso de sucesso no torneio no final da temporada. “Enquanto estivermos na Série B, será assim. Enquanto não chegar 30 de novembro, na última rodada, com o Palmeiras campeão e deixando a Série B para trás, vai ser pressão todo jogo”, avisou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade