Atletismo/Bastidores - ( - Atualizado )

Desculpas da Jamaica irritam presidente de agência antidoping

Montreal (Canadá)

O presidente da Wada (Agência Mundial Antidoping), John Fahey, recriminou a Jamaica por não permitir que a entidade viaje ao país para realizar uma auditoria independente contra o doping, classificando o episódio como ‘’inaceitável’’.

‘’Falar para a Wada que não estão preparados para nos receber até o ano que vem não é satisfatório. É totalmente inaceitável. Vamos atuar de maneira apropriada e dentro do tempo’’, disse Fahey ao jornal britânico Daily Telegraph.

Recentemente, o primeiro-ministro jamaicano, convidou a Wada para visitar e inspecionar a JADCO (Comissão Antidoping da Jamaica).

Esse convite surgiu após comentários da ex-diretora executiva da JADCO, Renee Anne Shirley, que deixou a comissão em fevereiro. Ela afirmou que foi realizado apenas um único teste fora de competição nos cinco meses que antecederam os Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. Shirley também trouxe à tona que nunca foram usados os kits de testes sanguíneos durante o tempo em que ela trabalhou lá.

Furioso com a JADCO e suas tentativas de adiar as investigações, Fahey promete que a Wada tomará uma decisão adequada.

Se a Jamaica for pega violando as leis da Wada, astros do atletismo como Usain Bolt podem ser banidos de competir no cenário mundial, inclusive das Olímpiadas.

Recentemente, Asafa Powell, estrela dos 100m rasos, Veronica Campbell-Brown, bicampeã olímpica dos 200m,  e a medalhista de prata no revezamento 4x100 m em Londres 2012 Sherone Simpson foram pegos no antidoping e acabaram suspensos do Mundial de atletismo, em agosto.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade