Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Adaptado ao City, Fernandinho exalta fase antes de duelo 'brasileiro' com Chelsea

Bruno Oliveira, especial para a GE.NET São Paulo (SP)

Criado nas categorias de base do Atlético-PR e revelado para o futebol profissional pelo próprio clube rubro-negro, em 2002, o volante Fernandinho ganhou notoriedade internacional ao defender o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, por oito anos. O desempenho pela equipe do leste europeu chamou atenção do Manchester City, que desembolsou 40 milhões de euros (aproximadamente R$121,5 milhões) em junho deste ano para contratá-lo.

Em entrevista exclusiva à Gazetaesportiva.net, o meio-campista celebrou sua fase pela equipe inglesa e mostrou felicidade pelo momento vivido. Aos 28 anos, o volante disputou 11 partidas desde que chegou ao clube britânico, sendo todas como titular, e conquistou confiança do treinador também contratado para esta temporada, Manuel Pellegrini.

“Essa transferência foi no instante exato da minha vida. Estou bem maduro, experiente e foi em um momento em que todas as coisas que estão acontecendo não vão tirar meus pés do chão. Esses oito anos na Ucrânia serviram como universidade. Espero que eu possa continuar atuando em todos os jogos e ganhando, que é o mais importantes”, afirmou o atleta.

Divulgação
Fernandinho chegou ao City nesta temporada europeia e já ganhou espaço com o técnico Manuel Pellegrini
Com cinco jogos pela Seleção Brasileira em seu currículo, além do título da Copa do Mundo sub-20, em 2003, Fernandinho já acumula momentos marcantes pelo City, como a goleada por 4 a 1 sobre o Manchester United, em 21 de setembro, e o revés por 3 a 1 diante do Bayern de Munique, no último dia 2 de outubro.

Neste domingo, às 14 horas (de Brasília), o meio-campista estará presente em mais um duelo importante, desta vez contra o Chelsea, no Stamford Bridge, em partida válida pela nona rodada do Campeonato Inglês desta temporada. Como adversários, o volante brasileiro terá quatro compatriotas: Ramires, David Luiz, Oscar e Willian.

Em caso de vitória no embate deste final de semana, o time comandado por Pellegrini, atualmente na quarta colocação, com 16 pontos, ultrapassará o Chelsea na tabela de classificação, já que o clube londrino soma 17 pontos e aparece na segunda posição. O Arsenal, com 19 pontos, lidera a competição britânica. Otimista, Fernandinho projetou grande duelo no Stamford Bridge.

AFP
Fernandinho teve que marcar o japonês Honda, do CSKA Moscou, durante esta semana (foto: ALEXANDER NEMENOV)
Confira entrevista exclusiva de Fernandinho à Gazetaesportiva.net:

Gazetaesportiva.net:No Shakhtar Donetsk você tinha sete companheiros brasileiros, mas no Manchester City não há nenhum. A experiência ajuda a minimizar essa ‘solidão’?

Fernandinho:Sem dúvidas, até mesmo pela temperatura, já que lá era muito mais frio do que aqui. Quando um clube inglês contrata um brasileiro, uma das maiores preocupações é se acontecerá adaptação ao clima. Esse tempo na Ucrânia foi fundamental para isso. Além disso, há a questão tática, que o pessoal na Europa leva muito a sério. Precisamos fazer tudo certinho dentro do campo.

GE.net:Atualmente, você tem muitos companheiros argentinos (Sergio Aguero, Pablo Zabaleta e Martín Demichelis) e espanhóis (David Silva, Javí García, Jesús Navas e Álvaro Negredo). Como é sua relação com eles?

Fernandinho:É perfeita. Os jogadores me receberam bem aqui no time, tenho me relacionado melhor a cada dia que passa, criando mais afinidade. Além de serem ótimos jogadores, são pessoas fantásticas.

GE.net:O Yaya Touré sofreu insultos racistas contra o CSKA, em Moscou, na última quarta-feira, em partida válida pela Liga dos Campeões da Europa. Você já havia presenciado isso?

Fernandinho:Eu nunca havia passado por uma situação como essa. Isso, inclusive, passou despercebido por mim no momento do jogo. Conversei com Yaya no treinamento do dia seguinte e ele explicou que foi perto da torcida adversária, no escanteio, quando escutou o pessoal gritando. Ele afirmou que está muito triste, que é lamentável essa situação. É inaceitável um atleta passar por este tipo de constrangimento em um campeonato tão importante como a Liga dos Campeões.

AFP
Fernadinho reencontrará velhos conhecidos neste final de semana (foto: Adrian Dennis)
GE.net:Neste domingo, o Manchester City enfrenta o Chelsea, em Stamford Bridge, pelo Campeonato Inglês. Já conversou com algum dos brasileiros que serão seus adversários (Ramires, David Luiz, Oscar e Willian)?

Fernandinho:Ainda não tive tempo. Voltei de viagem da Rússia na madrugada de quinta-feira e já precisei treinar na sequência. Talvez eu fale com algum deles antes do jogo.

GE.net:O Willian jogou durante quase seis anos com você no Shakhtar. Se ele entrar em campo, fica mais fácil marcá-lo pelo convívio que tiveram?

Fernandinho: Jogar contra esse tipo de atleta nunca é fácil. O Willian é um jogador excepcional, tive o privilégio de atuar com ele durante cinco anos (2007-2012). Agora, neste domingo, não será só ele, mas também os outros brasileiros. O time todo do Chelsea é muito bem montado e organizado. Qualquer um que entrar em campo exige atenção redobrada.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade