Futebol/Copa Sul-americana - ( )

Adiantado na Sul-americana, São Paulo tende a preterir Brasileiro

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Dez pontos acima da zona de rebaixamento e nove abaixo do G-4 do Campeonato Brasileiro, restando sete rodadas, o São Paulo tende a não se preocupar mais com a Série B, ao contrário do discurso. A partir de agora, a principal meta é conquistar a Sul-americana e consequentemente uma vaga na próxima edição da Libertadores.

"Está mais fácil chegar pela Sul-americana, por ser mata-mata. É o caminho mais rápido e fácil", reconhece atacante Ademilson, embora mantenha a fala de que a competição nacional não deve ser esquecida. "Vamos esquecer agora o Brasileiro, mas, depois de quarta, volta a ser prioridade".

Fernando Dantas/Gazeta Press
Time deve mergulhar de cabeça no torneio mata-mata
Para dar atenção aos dois campeonatos, a comissão técnica de Muricy Ramalho vai dosar a utilização dos atletas. O primeiro exemplo disso foi adiar o retorno do artilheiro Luis Fabiano de domingo (quando o time enfrentou o Internacional) para esta quarta-feira (dia em que recebe o Atlético Nacional, pelas quartas de final da Sul-americana).

Mesmo sem o atacante, o São Paulo venceu a equipe gaúcha por 3 a 2, com três gols de Aloísio (seu substituto imediato), e deu mais um passo importante para se afastar do risco de queda para a segunda divisão.

"Tem chance ainda (de cair), mas a gente sabe que é difícil, porque a equipe vem se acertando, está em um bom momento", acredita o lateral direito Douglas, igualmente evitando dar como certa a salvação são-paulina. "Vamos brigar até o final", ressalva.

Depois de eliminar a Universidad Católica, o time treinado por Muricy Ramalho tem mais seis jogos para defender o título da Sul-americana. A luta recomeça nesta quarta-feira, diante do Nacional, de Medellín. Agora com força máxima.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade