Futebol/Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

América-MG e Ceará ficam no empate e passam a ver G4 distante

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

O torcedor do Ceará que foi ao Castelão nesta sexta-feira, sabia que o time teria uma partida difícil pela frente, mas apostou em um triunfo do Vozão, o que parecia que iria acontecer, já que o time abriu o placar, mas a frustração prevaleceu no fim do jogo. O América-MG, que não atuou bem, conseguiu reagir e chegou ao empate de 1 a 1, que não foi bom para nenhuma das duas equipes.

O veterano Magno Alves abriu o placar em cobrança de pênalti, que ele mesmo sofreu. O empate do América-MG surgiu com um gol de Bady, que aproveitou uma bola rebatida e mandou a bomba contra a meta de Fernando Henrique. Com o empate, o Ceará chegou aos 47 pontos, contra 48 do América-MG, mas com o resultado, as duas equipes ficam longe do G4.

Na sequência da Série B do Campeonato Brasileiro, o técnico Silas terá tempo para prepara o América-MG, já que a equipe só volta a campo no dia 29 enfrentando o Paysandu, no Independência. Já o Ceará vai duelar contra o América-RN, partida marcada para o Rio Grande do Norte no dia 26 deste mês.

O jogo – O América-MG entrou no gramado do Castelão com a fama de ser o visitante mais indigesto da Série B, e o Coelho queria que fazer jus ao aproveitamento de 60% fora de casa, por isso, tentou controlar o jogo em território inimigo. O grande problema é que o Ceará, assim como o time mineiro, também sonha com o G4 e não estava disposto a abrir mão da vitória, isso gerou uma partida bem movimentada e de muita entrega.

A primeira chance de real perigo foi do Vozão, e nasceu de um cruzamento da direita que encontrou Léo Gamalho dentro da área, o goleiro Glaycon foi corajoso e se jogou nos pés do atacante do time cearense para evitar o gol. Apesar de tentar agredir os donos da casa, o América-MG encontrou dificuldades na saída de bola.

Com isso, o Ceará conseguiu permanecer a maior parte do tempo com a posse de bola no campo ofensivo, quase sempre rondando a área americana e gerando apreensão no técnico Silas, que gritou muito com os jogadores a beira do campo, na tentativa de melhorar o posicionamento da equipe em campo. Aos 28, Diego Ivo desviou cobrança de escanteio e quase surpreendeu Glaycon.

O lance serviu de incentivo para os cearenses intensificarem a pressão em cima dos visitantes, que apresentaram instabilidade emocional em alguns momentos. Aos 31, Magno Alves foi lançado em velocidade, driblou o goleiro Glaycon, mas perdeu o ângulo na hora de finalizar, perdendo mais uma ótima chance de abrir o placar.

Arte GE.Net
A blitz do Vozão surtiu efeito aos 34, quando Magno Alves foi derrubado dentro da área, o árbitro Elmo Alves Resende não titubeou e marcou pênalti. Na cobrança, o próprio Magnata foi para a batida e acertou o canto esquerdo de Glaycon, que foi para lado certo, mas não alcançou. Mesmo sem jogar bem, o Coelho achou o gol de empate aos 43, com o armador Bady, que pegou rebote da zaga cearense e mandou a bomba de fora da área, deixando tudo igual.

O empate no finalzinho da primeira etapa deu mais confiança para o time de Belo Horizonte, que melhorou no segundo tempo. O técnico Sérgio Soares ficou preocupado com o crescimento do Coelho, que só foi possível porque o Ceará estava desatento na marcação e errando muito passes, dando possibilidade de contra-ataque.

Os visitantes quase viraram o jogo aos 13, com uma jogada rápida pela esquerda, que terminou com cruzamento para a área, mas os atacantes do Coelho chegaram atrasados na jogada. Com as peças mais encaixadas em campo, o América-MG dificultou a vida do Ceará, que atacava melhor com o velocista Magno Alves, que perdeu fôlego no fim da partida.

Nos minutos finais faltou inspiração para América-MG e Ceará, e mesmo com as mudanças dos treinadores o final do jogo que era para ser movimentado acabou sendo morno. Não faltou vontade, mas sim qualidade técnica, principalmente na armação das jogadas, contribuindo para o placar ficar mesmo na igualdade até o apito final.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade