Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Ano de menos gols e uma só convocação frustra Luis Fabiano

Tossiro Neto São Paulo (SP)

A temporada não tem sido como imaginava Luis Fabiano. Depois de ter balançado a rede na primeira partida e ser chamado para a Seleção Brasileira em seguida, o atacante diminuiu a média de gols e não foi mais lembrado pelo técnico Luiz Felipe Scolari. Pior ainda: o São Paulo faz campanha sofrível e luta para não cair à segunda divisão nacional.

"Não estou feliz, porque acreditava que este ano seria diferente para mim e para o São Paulo. Não está sendo, mas é daqui para frente que a gente tem que pensar. A gente precisa melhorar, porque ainda está com a água no queixo. Precisamos pelo menos terminar bem essa temporada para, na próxima, não cometer os mesmos erros", avalia.

Mesmo no ano anterior, quando conviveu com número maior de lesões do que no atual, o camisa 9 teve mais razões para comemorar. Embora tenha sido prejudicado pelos frequentes períodos no departamento médico, foi convocado por Mano Menezes (ex-treinador do selecionado nacional) e anotou 31 gols em 44 jogos pelo time paulista, além de ter sido campeão da Copa Sul-americana.

Tudo o levava a crer que 2013 pudesse ser bem melhor. "Eu esperava estar com mais gols. Esperava ter oportunidades na Seleção, por que não? E esperava que o São Paulo estivesse pelo menos no G-4. Essa era minha projeção. Infelizmente, nada disso vem acontecendo", lamenta o artilheiro são-paulino (com média menor até aqui: 20 gols em 41 partidas), sem desistir do sonho de disputar a Copa do Mundo.

"Meu sentimento é de que poderia estar brigando por um lugar na Seleção, em um momento melhor, fazendo gols, vivendo uma boa fase. Tenho certeza de que tenho condição disso, mas não é sempre o que a gente quer. Estou lutando para salvar a temporada, é isso o que tem para mim neste ano. Acho difícil (voltar), mas ainda resta uma esperança. O Grafite foi convocado no último minuto para 2010. Por que não?", lembra, enquanto tenta tirar algo de bom dos nove primeiros meses de temporada.

"Tem que encarar os momentos difíceis e aprender. Estou aprendendo muito. Nunca passei por isso, nem - com todo respeito - na Ponte Preta. Já passei muitos anos felizes, e este não está sendo tão feliz. Mas, depois da tempestade, vem a bonança. Ano que vem é o da bonança", espera.

Com Luis Fabiano entre os titulares, o São Paulo visita o Santos às 21h50 (de Brasília) desta quarta-feira, na Vila Belmiro. Derrotada nos dois últimos jogos, a equipe está apenas dois pontos acima da zona de rebaixamento e corre risco de terminar a rodada novamente entre as últimas quatro colocadas caso perca o clássico.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade