Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Antônio Carlos salva o São Paulo de tropeço contra o Vitória

Bruno Grossi, especial para a GE.net São Paulo (SP)

Em jogo polêmico, em que o árbitro Anderson Daronco saiu como o grande vilão para as duas equipes, o São Paulo voltou a respirar no Campeonato Brasileiro após três derrotas seguidas. Com dois gols do zagueiro Antônio Carlos, o Tricolor superou o nervosismo e as deficiências defensivas para vencer o Vitória por 3 a 2 no Morumbi já nos minutos finais do duelo válido pela 26ª rodada.

O torcedor começou a partida incentivando e foi recompensada logo aos quatro minutos com o gol de Antônio Carlos. O cenário, no entanto, passou a ser negativo quando Rogério Ceni cometeu pênalti em Dinei e foi vazado em cobrança polêmica de Juan, que reencontrava o ex-clube ao lado de Ney Franc, ambos muito vaiados pela torcida.

Na etapa complementar, Luis Fabiano anotou o segundo aos 20, mas dois minutos depois Dinei empatou. Aos 41, novamente Antônio Carlos -- maior zagueiro artilheiro da era dos pontos corridos com 26 gols -- salvou os paulistas, que chegam a 30 pontos, saindo provisoriamente da zona de rebaixamento, contra 37 dos baianos.

Na próxima rodada, a 27ª da competição nacional, o Vitória volta a atuar como visitante, mas em Salvador. Isso porque os rubro-negros encaram o Bahia no clássico Ba-Vi às 21 horas (de Brasília) de quarta-feira. No mesmo dia, mas às 21h50, o São Paulo tem a tarefa ingrata de visitar o líder Cruzeiro em pleno Mineirão.

Arte GE.Net
O jogo – Assim como na derrota por 1 a 0 para o Grêmio, o Tricolor iniciou a partida em ritmo acelerado, pressionando a saída de bola dos baianos. Logo aos quatro minutos, Ademílson retribuiu a confiança de Muricy Ramalho, fez grande jogada pela esquerda e cruzou para Douglas desperdiçar chance clara. Na cobrança do escanteio, porém, Antônio Carlos subiu sozinho e completou cruzamento de Paulo Henrique Ganso para abrir o placar.

O gol animou a equipe, que seguiu controlando o jogo e demonstrando dedicação para conter os avanços do veloz ataque do Leão da Barra. Aos dez minutos, até Rogério Ceni entrou em ação ao espalmar cobrança de falta do ex-palmeirense Ayrton. Quatro minutos depois, Dinei bateu cruzado e também assustou a torcida são-paulina, que na sequência lamentou defensa de Wilson em chute forte de Ganso de fora da área.

Quando o cronômetro marcava 30 minutos, porém, a tensão voltou a dominar as arquibancadas do Morumbi. Dinei aplicou chapéu em Antônio Carlos na área e foi derrubado por Rogério Ceni. O árbitro Anderson Daronco assinalou pênalti e ainda mostrou cartão amarelo para o goleiro, que desfalcará o Tricolor no duelo com o Cruzeiro no meio de semana. No momento da cobrança, Juan caminhou sob vaias, escorregou e teria tocado com os dois pés na bola para empatar.

A irregularidade no gol do Vitória desestabilizou o São Paulo, que passou a errar muitos passes e foi para os vestiários de cabeça quente. Logo na volta do intervalo, Vander apareceu na vaga de Renato Cajá e precisou de quatro minutos para fazer boa jogada individual e assustar com chute cruzado. A resposta tricolor veio em confusão na área, que a defesa baiana travou três chutes à queima roupa.

Aos 11 minutos, Ganso invadiu a área pela esquerda, tentou o cruzamento e pediu pênalti por toque de mão de Victor Ramos, novamente ignorado pelo juiz. Aos poucos o São Paulo voltou a pressionar e teve o esforço coroado aos 20 minutos da etapa complementar. Ademílson recebeu na meia direita e desmontou a defesa rubro-negra com um passe magistral para Luis Fabiano. O centroavante mostrou faro de gol e bateu na saída de Wilson para explodir o Morumbi.

Mas a alegria durou apenas dois minutos no estádio da Zona Sul da capital paulista. O argentino Escudero insistiu em jogada pelo meio e viu a bola cair para Vander na ponta esquerda. O meia chutou muito mal, mas serviu de garçom para Dinei subir sem marcação e cabecear longe do alcance de Rogério Ceni para igualar novamente o placar.

O desespero tomou conta dos tricolores, que passaram a deixar muitos espaços para o contra-ataque do Leão. Enquanto Rogério Ceni levava sustos, o ataque deixava a torcida inconformada pelas chances perdidas. Antes aliado, o torcedor passou a transmitir mais nervosismo para os jogadores. O placar parecia encaminhado para o empate quando, aos 41 minutos, Ganso cruzou mais uma na área e Antônio Carlos aproveitou falta não assinalada de Paulo Miranda em Wilson para definir a vitória sofrida do São Paulo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade