Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Após derrota, cobranças aumentam de todos os lados nas Laranjeiras

Gazeta Press Rio de Janeiro (SP)

A derrota de 1 a 0 para o Cruzeiro já era até esperada pela boa campanha do time mineiro, que lidera com folga o Campeonato Brasileiro. O problema é que, com o resultado, o Fluminense estacionou nos 35 pontos e está cada vez mais pressionado pelo risco de rebaixamento. Sendo assim, as cobranças começaram a aparecer de todos os lados. Na manhã desta quinta-feira, a torcida deu seu recado de insatisfação ao pichar os muros da sede das Laranjeiras. Nas frases, a diretoria foi cobrada pelo "planejamento zero", assim como alguns jogadores, como o volante Edinho, que vem sendo bastante hostilizado em jogos no Rio de Janeiro.

A diretoria evitou se posicionar sobre o assunto, mas a torcida não é a única a cobrar. Dentro do clube, o presidente Peter Siemsen vem sofrendo a pressão de alguns conselheiros em relação à fragilidade do elenco, que não foi reforçado mesmo com a saída de peças importantes, como o meia Thiago Neves e o atacante Wellington Nem, negociados com o exterior, e o apoiador Deco, que decidiu se aposentar.

Até alguns jogadores começam a se cobrar por conta dos tropeços. Na saída do campo após o jogo contra o Cruzeiro, o volante Jean, um dos líderes do elenco, deixou visível a insatisfação com as chances perdidas pelo ataque. Ele não citou nomes, porém, Samuel abusou de perder oportunidades que poderiam ter modificado o resultado do confronto.

“O resultado não vem, é difícil de explicar. Mesmo quando a gente acha que joga bem as coisas não acontecem. Estamos jogando bem demais, hoje (quarta-feira) foi um ótimo jogo, mas a bola não entra. Precisamos caprichar mais nesses lances para sair dessa situação chata”, receitou Jean.

Bruno Haddad/Fluminense F. C.
Tricolor se veem cercados pelas cobranças, aumentadas após nova derrota no Campeonato Brasileiro
Vanderlei Luxemburgo, disposto a preservar o garoto, o defendeu. “Tomara que os gols que ele perdeu sejam feitos em jogos decisivos. Faz parte, ele não foi feliz. Teve jogo que ele fez dois gols também. O Sóbis já não vai poder jogar (expulso), e ele está escalado”, lembrou Vanderlei, que desde que assumiu o Flu vem falando que a prioridade é afastar o risco de queda para a segunda divisão.

Para agravar ainda mais as dificuldades do Fluminense, Luxemburgo perdeu jogadores importantes para a próxima partida, sábado, às 16 horas (de Brasília), contra a Ponte Preta, no Maracanã. O meia Felipe e o atacante Rafael Sóbis, expulsos contra o Cruzeiro, ficam de fora, assim como o atacante Rhayner, que é reserva, mas que também está suspenso porque foi advertido com o terceiro cartão amarelo em Belo Horizonte. O apoiador Wagner, com dores na coxa, é dúvida. Assim, caso ele não possa atuar, Diguinho, que volta de suspensão, deve entrar no meio, enquanto que a vaga de Sóbis será preenchida por outro que estava suspenso, Biro-Biro. Outra mudança certa acontecerá no gol, com a saída de Kléver para a entrada de Diego Cavalieri, que estava a serviço da Seleção Brasileira em amistosos internacionais.

Desta maneira, o esboço do time do Fluminense para este sábado é o seguinte: Diego Cavalieri; Gum, Edinho e Leandro Euzébio; Bruno, Jean, Wagner (Diguinho), Rafinha e Aílton; Biro-Biro e Samuel. A equipe, porém, só será confirmada após o treino desta sexta, na Escola de Educação Física da Urca, na zona sul do Rio.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade