Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Após primeiro gol, Ganso tenta mudar característica e ser artilheiro

Helder Júnior São Paulo (SP)

O belo gol marcado na vitória do São Paulo sobre o Náutico, por 3 a 0, foi só o primeiro do meia Paulo Henrique Ganso no Campeonato Brasileiro. Em alta sob o comando de Muricy Ramalho, o jogador sabe que terá de lutar contra um velho hábito se quiser atingir status de goleador.

“Sempre preferi dar o passe a fazer o gol”, sorriu Ganso, ciente de que pode mudar a sua característica. “Sei das cobranças por gols e estou procurando chutar mais. Pela minha função em campo, é até fácil conseguir, pois costumo chegar como um homem surpresa”, argumentou.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Ganso se assustou com a animação exagerada de Aloísio na comemoração contra o Náutico
Não é de hoje que Muricy Ramalho pede para o meio-campista ser um pouco menos solidário ofensivamente. “Quando trabalhamos juntos no Santos, ele já me falava para estar sempre na área, para finalizar. Nunca foi muito do meu feitio. Contra o Náutico, não achei nenhum companheiro livre de marcação e deu para fazer aquele belo gol”, recordou, salientando que o seu individualismo na última rodada do Campeonato Brasileiro foi por falta de opções.

Há mais um empecilho para Ganso querer virar artilheiro. “Foi o meu primeiro gol no campeonato, e o Aloísio já chegou me batendo daquela forma”, gargalhou. O Boi Bandido já havia recebido o mesmo tipo de queixa bem-humorada depois de acertar uma voadora e sacudir pelo colarinho o chefe Muricy Ramalho em outro gol são-paulino.

“A gente precisa fugir dele na hora do gol! É lógico que assusta: o cara vem batendo, todo bravo”, voltou a sorrir Ganso, mais alegre mesmo com o seu gol. “Brincadeira à parte, espero continuar balançando as redes até o final do campeonato.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade