Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Aranha comemora titularidade e não descarta adiar aposentadoria

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

Com a venda de Rafael para o Napoli (Itália) em julho, a tarefa de defender o gol do Santos ficou para Aranha. Na época, alguns torcedores do Peixe tinham dúvidas se o experiente goleiro, que completa 33 anos em novembro, era o mais indicado para a posição, visando o restante do Campeonato Brasileiro. Mas Aranha superou a desconfiança e se tornou um dos destaques da equipe praiana na competição.

“É complicado, mas sempre fiz o meu trabalho direito e bem, por isso fiquei no clube, mesmo na reserva. Várias coisas que foram acontecendo, depois da saída do Rafael, consolidaram a minha condição de assumir a camisa 1 do Santos. Felizmente, tudo tem dado certo até agora, o trabalho tem sido bem feito e o torcedor vem observando isso. Desta forma, os elogios e os aplausos chegam. Mas temos que estar preparados para tudo”, afirmou.

O arqueiro santista relembrou as dificuldades enfrentadas na Vila Belmiro, principalmente nos momentos em que ficou na reserva, jogando poucas partidas. “O rótulo de reserva tira muitas coisas boas que você faz. É difícil. Voltei a jogar depois de quase um ano. Mas, agora, estou sempre sendo lembrado pelo meu trabalho. É a minha melhor fase no Santos, principalmente porque hoje sou titular”, comentou.

Aranha ainda destacou que, com a sequência como titular, os planos de aposentadoria dos gramados podem ser adiados. “A partir do momento em que eu esteja produzindo, sendo útil, pode ser que sim. Jogar, de qualquer jeito, não é interessante. Temos um período de vida ‘útil’. Todo mundo fala que jogador tem carreira curta, mas abrimos mão de muita coisa, por muito tempo”, finalizou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade