Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Arena Castelão cobra Lusa após calote de empresa no empate com o Fla

Bruno Grossi e Yan Resende* São Paulo (SP)

A Arena Castelão Operadora de Estádios S/A divulgou comunicado no início da noite desta segunda-feira cobrando a Portuguesa pelo calote da empresa Xaxá Produções e Eventos no empate sem gols contra o Flamengo, no último domingo, em Fortaleza, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. Além da administradora do estádio, Federação Cearense de Futebol, Federação Paulista de Futebol e a própria Associação Portuguesa de Desportos haviam registrado Boletim de Ocorrência no 2º Distrito Policial de Fortaleza após o jogo acusando a Xaxá Produções, pelo empresário Fabiano Rodrigues, de ter sumido com parte da renda do confronto. O prejuízo pode ultrapassar R$ 168 mil.

A administradora da arena deveria receber 10% do valor da renda, referente ao aluguel do estádio (aproximadamente R$ 89 mil - a renda total foi de R$ 890.950,00). Já a FPF, que enviou funcionários do departamento financeiro, ficaria – pelas contas da FCF – com 5% da renda (R$ 45 mil). A Federação Cearense, que disponibilizou boa parte do quadro móvel, incluindo o delegado da partida, calcula prejuízo de R$ 4 mil. O pagamento da ambulância e até do lanche dos policiais entram na conta.

Leia Mais: Empresário nega golpe e faz acusações à Federação Cearense de Futebol

Carlos Ferreira, dirigente da Portuguesa que viajou à capital cearense, revelou que a empresa pagou grande parte do valor que deveria ser repassado ao clube paulista, mas que R$ 30 mil ainda precisam ser depositados. Perguntado sobre as negociações com Fabiano Rodrigues, Ferreira afirmou que apenas o presidente Manuel da Lupa participou das tratativas.

Assim que a delegação da Lusa retornou à concentração no domingo, encontrou os funcionários que trabalharam no embate com o Flamengo em busca de Fabiano Rodrigues para receber os valores acertados pelo regulamento da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Para evitar confusão maior, a diretoria da Lusa se reuniu com os envolvidos e se encaminhou ao 2º Distrito Policial para registrar o Boletim de Ocorrência.

Apesar de se mostrar solidária na resolução do imbróglio, como o próprio Carlos Ferreira ressaltou, a equipe do Canindé pode se complicar devido ao calote da Xaxá Produções e Eventos. De acordo com a CBF, o time mandante é quem arca com tais despesas e a Arena Castelão espera que os paulistas quitem as dívidas e depois se resolvam com a empresa sul-mato-grossense. A administradora, que garantiu ter estudado o histório da Xaxá antes de selar o acordo, falou até em sações ao clube e prometeu entrar com processo contra a empresa de Fabiano Rodrigues por quebra de contrato.

A direção rubro-verde, no entanto, mostra tranquilidade em relação ao assunto, mesmo enfrentando graves problemas financeiros. “Nós estamos tranquilos, pois a Portuguesa não tem responsabilidade de pagar. No contrato, a responsabilidade é da empresa de eventos. Nós apenas nos sensibilizamos com o problema dos outros”, declarou Carlos Ferreira.

O departamento de comunicação da Federação Cearense desconfia que o sumiço de Fabiano Rodrigues, da Xaxá Produções e Eventos, foi motivado pela frustração com o público abaixo do esperado (22 mil) na Arena Castelão - a projeção era de que seriam comercializados 40 mil ingressos.

A FCF ainda informou que o borderô da partida está sob cuidados da Portuguesa até que seja publicado no site oficial da CBF. Fabiano Rodrigues foi procurado por todas as partes assim que o calote foi percebido, mas não foi encontrado. O empresário estava hospedado no hotel Iate Plaza até a manhã desta segunda-feira, quando segundo funcionários do estabelecimento, não deixou dívidas “até o momento”.

Embora as outras três partes envolvidas confirmem a presença de representantes e citem prejuízos para FPF, o departamento de comunicação da Federação Paulista de Futebol negou ter conhecimento sobre o assunto. Em seguida, o setor financeiro enviou comunicado se negando a comentar a “situação financeira envolvendo a entidade e o clube filiado”.

Em contato com a imprensa do Mato Grosso do Sul, onde a Xaxá Produções e Eventos mantém sede, a reportagem apurou que a empresa não tem tradição na organização de eventos esportivos de grande porte, embora o item conste no registro de CNPJ. Ainda assim, Fabiano tentou levar para Campo Grande (MS) o duelo entre São Caetano e Palmeiras, válido pela 13ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. A venda de ingressos chegou a ser divulgada pelos jornais locais, mas, às vésperas da partida, a Federação de Futebol do Mato Grosso do Sul cancelou a realização do jogo, que retornou para o ABC Paulista.

Confira o comunicado oficial emitido pela Arena Castelão Operadora de Estádios S/A:

Sobre a falta de cumprimento do contrato pela empresa Xaxá Produções, para a realização do jogo Portuguesa x Flamengo, no último domingo 27/10/13, a Arena Castelão Operadora de Estádios S/A esclarece que:

1. Foram tomadas todas as medidas necessárias para resguardar os direitos da Arena Castelão diante do não pagamento das taxas acordadas pela empresa citada.

2. Foi registrado um boletim de ocorrência, ainda na noite de domingo, no Segundo Distrito Policial de Fortaleza, na presença do Presidente da Portuguesa e de representantes da Federação Cearense de Futebol (FCF) e Federação Paulista de Futebol (FPF).

3. A Portuguesa de Desportos, como mandante da partida e pelo regulamento da competição, é a responsável direta pelo pagamento das despesas, taxas e demais valores, apurados por ocasião do fechamento do Borderô.

4. A Arena Castelão ingressará com uma ação judicial contra a empresa Xaxá Produções por quebra de contrato.

5. Foram realizadas antecipadamente verificações sobre o histórico cadastral da empresa Xaxá Produções, antes da assinatura do contrato, e naquele momento, não foram encontradas informações que colocassem em questão a lisura da empresa.

6. Os representantes da Federação Cearense de Futebol (FCF) e Federação Paulista de Futebol (FPF) devem relatar o ocorrido à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), organizadora do Campeonato Brasileiro da Série A. A Portuguesa de Desportos poderá sofrer sanções em caso de não cumprimento do registrado no contrato com a Arena Castelão.

*especial para GE.net

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade