Esportes/Bastidores - ( - Atualizado )

Blogueiro da GE.Net lança novo livro sobre a psicologia no esporte

Yan Resende, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Psicólogo esportivo e autor de dois livros sobre o assunto, João Ricardo Cozac lança, nesta quinta-feira, sua terceira obra relacionada ao tema. Em “Psicologia no Esporte: atleta e ser humano em ação”, o escritor, presidente da Associação Paulista da Psicologia do Esporte usa inovadoras pesquisas científicas feitas para mostrar como a parte mental ou emocional de um ser humano pode influenciá-lo em suas práticas esportivas, seja de baixo ou alto rendimento.

Em entrevista à GazetaEsportiva.Net, Cozac falou sobre seu mais novo livro, e ressaltou a influência da psicologia nas práticas esportivas. Apesar de não ficar restrito a atletas de alta performance, o autor do blog Gol de Cabeça usou exemplos conhecidos pelos esportistas brasileiros, como a crise que afetou o atacante Ronaldo na final da Copa de 98, para enfatizar a importância de um tratamento adequado na relação entre atleta e ser humano.

Esta influência, no entanto, ainda não recebe o seu devido valor, de acordo com o professor. Ao falar sobre os clubes brasileiros – o psicólogo passou por Palmeiras e Cruzeiro -, Cozac evidenciou a falta de preparação nas categorias de base para que os jovens jogadores não se abalem com as transformações na carreira, como a chegada ao profissional. O caso de Neymar, uma exceção à regra também na psicologia esportiva, também não foi deixado de lado.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Psicólogo esportivo, João RicardoCozac lança, nesta quinta-feira, sua terceira obra relacionada ao tema
GazetaEsportiva.Net: Quais são os principais aspectos da psicologia no esporte abordados no livro “Psicologia no Esporte: atleta e ser humano em ação”?
João Ricardo Cozac:O livro fala sobre as diversas áreas da psicologia, não só o alto rendimento, mas também a pratica de exercícios físicos, e fundamenta a importância da psicologia esportiva dentro do treinamento esportivo. O livro aprofunda muito o conceito de atleta, o conceito de ser humano, mostrando como o psicólogo tem que estar atrelado às comissões técnicas, ter uma leitura interdisciplinar do trabalho. Muitas vezes é por causa da parte mental ou emocional que as maiores catástrofes acontecem. Tem um capitulo do livro que fala sobre categorias de base, mostrando como é importante ter um acompanhamento do psicólogo desde que o menino esteja no Mirim ou no Infantil.

GE.Net: Quais são os recursos usados ao longo da obra para mostrar a importância da psicologia?
Cozac: Nós usamos estudos científicos voltados para a importância do campo mental e para a alta performance dos atletas em diversas áreas esportivas, como o futebol, o basquete, o vôlei e o tênis.

GE.Net: Nos últimos anos, existe algum caso em que ficou claro a falta de um trabalho psicológico com atletas de alto rendimento?
Cozac: O primeiro exemplo que tenho é a Copa de 98, na qual o Ronaldo teve aquele problema na final contra a França. Ali, não teve um acompanhamento psicológico. Certamente o Ronaldo era um ícone, uma figura importantíssima naquele grupo, e, o fato de ele ter tido aquela crise convulsiva, acabou afetando o psicológico de todo grupo. É um caso que faltou esse tipo de trabalho.

Fernando Dantas/Gazeta Press
De acordo com Cozac, a influência da psicologia ainda não recebe o seu devido valor
GE.Net: Atualmente, nós também temos exemplos positivos no futebol brasileiro?
Cozac: Infelizmente, no Brasil, nós temos poucos exemplos. Na Europa, porém, temos acompanhamento psicológico em todas as categorias de base, até a transição para o profissional. Os grandes clubes na Europa já se ocupam com a importância da psicologia no esporte.

GE.Net: O Neymar não precisou de muito tempo para uma mudança drástica na carreira. Podemos dizer que o jogador é exemplo de um bom trabalho psicológico?
Cozac: O Neymar contou com um trabalho psicológico individual, mas também temos que ressaltar o trabalho feito pelo Santos. Outra coisa importante foi o trabalho da família. A família ocupa um lugar fundamental no campo de formação do atleta, para que, quando ele saia da categoria de base, ele tenha a possibilidade de se manter vivo, forte e atuante no profissional. Eu acredito que os anos que ele passou aqui facilitou para jogar em um time que tem o Messi, o Iniesta e vários astros no mesmo grupo. A parte psicológica do Neymar, hoje, se deve muito ao fortalecimento da família, à influência do pai e aos trabalhos que ele fez no Santos.

GE.Net: A sua convivência em grandes clubes de futebol, como Palmeiras e Cruzeiro, auxiliou na análise feita no livre sobre a relação entre ser humano e o atleta?
Cozac: Antes de ser psicologia do esporte, é psicologia. Antes de ser atleta, é ser humano. Isso é muito importante. Muito daquilo que acontece com o atleta - o estresse, a ansiedade, a quebra da concentração - acaba sendo por fatores que não esportivos, mas fatores que vem de longe, vem da formação, do desenvolvimento, da parte familiar do atleta. O livro é um convite para um novo olhar e um novo conceito de atleta que se faz necessário.

Fernando Dantas/Gazeta Press
O autor do blog Gol de Cabeça usou exemplos conhecidos pelos esportistas para mostrar a influência da psicologia
GE.Net: Quais são as principais influências externas que afetam o psicológico de um jogador de futebol?
Cozac: A cobrança da mídia, os patrocinadores e a cobrança da torcida. Também há um desejo imenso de se atingir a fama. Muitas vezes esses meninos são a única esperança que a família tem de atingir uma independência econômica. Então, ele carrega uma carga de expectativa muito forte. O futebol, ironicamente, é um lugar onde ainda sem tem uma barreira para a psicologia. O Futebol é ainda um pouco refratário, e eu creio que seja pela falta da divulgação da importância do psicólogo dentro do esporte.

GE.Net: Este livro afala apenas sobre atletas de alto nível ou também aborda diferentes pessoas que praticam esportes no cotidiano?
Cozac: Vale dizer que a psicologia do esporte não trabalha apenas com atletas de alto rendimento. A psicologia é muito mais ampla do que o alto desempenho, existem outras área de acesso do profissional. O livro aborda a maioria dessas áreas, com trabalhos realizados na prática.

GE.Net: Você conta com a ajuda de outras pessoas, que também fizeram pesquisas nesta área, para escrever o livro?
Cozac: Eu conto com a ajuda de uma equipe de ex-alunos, formados por mim em um curso de psicologia do esporte, vinculado com a Associação Paulista da Psicologia do Esporte, e alunos que fizeram um trabalho de conclusão de curso sobre o assunto. Então, são trabalhos inovadores que relacionam, por exemplo, ansiedade e concentração, a prática de exercícios de pessoas com câncer. São trabalhos com uma relevância cientifica imensa diante das demandas do ser humano.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade