Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Colegas de elenco reprovam nova expulsão boba de Leandro

Bragança Paulista (SP)

O cartão vermelho recebido por Leandro, aos cinco minutos do segundo tempo, ameaçou a vitória do Palmeiras sobre o Bragantino, confirmada apenas com o segundo gol nos acréscimos. Ao final da partida, a maioria dos atletas reprovou a expulsão.

"Infelizmente, ele vem tomando alguns cartões bobos. Principalmente por ser atacante, não precisava tomar tanto cartão. Mas tem o técnico aí para avaliar. Ele é um menino bom, já nos ajudou bastante e vai nos ajudar mais", disse o volante Márcio Araújo, jogador do atual elenco com maior número de partidas pelo clube.

Neste sábado, Leandro foi advertido pela primeira vez no fim da primeira etapa, quando foi desarmado e cometeu a falta em seguida. O segundo amarelo foi ainda mais bobo. Ele sofreu a falta no meio-campo e acertou o marcador com a parte de baixo da chuteira na sequência.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Ex-cabeludo, atacante estreava visual careca
Não é a primeira vez que o camisa 38 deixa o time com um a menos. Contra o Oeste, há três semanas, ele fez o primeiro gol do jogo e acabou sendo expulso também no segundo tempo. Coincidentemente, o triunfo por 2 a 0, em São José do Rio Preto, foi decretado somente nos minutos finais, graças a Serginho.

Leandro é, com folga, o palmeirense mais indisciplinado na Série B do Campeonato Brasileiro. Além dos dois vermelhos, ele já recebeu 12 amarelos - o dobro do meia Valdivia, o segundo no quesito. Pela reincidência, a expulsão deste sábado foi, ainda que não em tom de cobrança excessiva, criticada por seus companheiros.

Os zagueiros André Luiz e Henrique, dois dos principais prejudicados pela expulsão, e o meia Wesley, que fechou o placar depois de Alan Kardec ter anotado o primeiro gol, também ficaram insatisfeitos. Mas foi o goleiro Fernando Prass quem melhor analisou a diferença entre o antes e o depois da expulsão.

"A gente estava com o jogo entre aspas controlado, jogando bem. Só que, com um a menos, o Bragantino veio para cima, e aí foi pressão até o final. Por jogar com dez homens e fazer mais um gol em vez de sofrer, a gente está de parabéns", falou o camisa 1.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade