Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Com calendário apertado, meia quer Ponte reagindo rápido após virada

Campinas (SP)

Nesta quinta-feira, dia em que enfrentará o Atlético-MG, a Ponte Preta terá disputado três jogos em seis dias. E para o meia Adrianinho, a Macaca precisa superar rapidamente a derrota sofrida para o Náutico nessa terça, por conta do calendário puxado.

“O pessoal ficou muito triste no vestiário, mas não dá tempo de pensar muito. Da mesma forma que depois da vitória você comemora em um dia e no outro já volta a trabalhar, agora tem que ser a mesma coisa. Temos mais uma batalha na quinta-feira e precisamos estar fortes”, disse nesta quarta-feira.

A Ponte precisará de uma dose extra dessa “força” para superar a derrota para o Náutico. A equipe de Campinas jogou dentro de casa e saiu na frente no placar, mas viu o time pernambucano virar o jogo aos 47 minutos do segundo tempo. Além disso, as duas equipes são as últimas colocadas do Campeonato Brasileiro: a Macaca tem 22 pontos; o Timbu, 17.

“Fizemos de tudo de tudo para vencer essa partida, mas infelizmente tivemos várias oportunidades de fazer o gol e não fomos felizes nas finalizações. Isso foi o que nos prejudicou. Precisávamos ter matado o jogo e não conseguimos. Respeitamos a equipe do Náutico, mas contávamos com esses pontos, ainda mais dentro de casa”, completou.

Sem ter realizado nenhum treino depois da derrota, a Ponte Preta já embarca nesta quinta-feira para Belo Horizonte, palco do jogo contra o Atlético-MG. A partida está marcada para as 19h30 (de Brasília) e será válida pela 26ª rodada.

O próprio Adrianinho é dúvida para o confronto em decorrência de desgaste muscular. Situação parecida vivem o o atacante Chiquinho, se recuperando de lesão na coxa, e o goleiro Roberto, que tomou para alergia probido pela CBF e agurda a liberação da entidade. Já os laterais Uendel e Artur estão suspensos e não entram em campo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade