Futebol/Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Com dois de Kardec, Palmeiras goleia Figueirense e reage em Londrina

Londrina (PR)

Com dois de Kardec, Palmeiras goleia Figueira e aumenta vantagem O Palmeiras não se mostrou abalado pela polêmica derrota no fim de semana passado e já se recuperou na Série B do Campeonato Brasileiro. Na noite desta terça-feira, o líder da competição goleou o Figueirense por 4 a 0, em partida realizada no estádio do Café.

Cumprindo punição imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva, por conta de briga de sua torcida, o Verdão disputou o jogo em Londrina e contou com dois gols de Alan Kardec. Mendieta e Serginho completaram o placar.

Assim, o Palmeiras chegou aos 62 pontos na Série B, liderando de forma isolada a competição, aumentando a distância sobre a segunda colocada para nove pontos, já que a Chapecoense empatou com o América-MG nesta terça. O Figueira tem 39, na parte intermediária da tabela.

O time de Gilson Kleina permanece em Londrina para a partida de sexta-feira, contra o Guaratinguetá, novamente no estádio do Café. Já o Figueirense encara o São Caetano, no sábado, no estádio Anacleto Campanella.

Arte GE.Net
O jogo - Apesar da condição ruim do gramado, o Palmeiras não precisou de muito tempo para se adaptar no estádio do Café. Logo no início do jogo, Leandro roubou a bola de Willian pela esquerda, carregou em diagonal driblando adversários, até que invadiu a área. Douglas Marques chegou na marcação, tropeçou e caiu nas pernas do atacante palmeirense, que foi impedido de chutar. O árbitro Edivaldo Elias da Silva assinalou o pênalti para o Verdão, gerando reclamação dos catarinenses.

Para tentar desestabilizar a cobrança, o goleiro Tiago Volpi apontou insistentemente para seu lado esquerdo, enquanto Alan Kardec se preparava para a batida. Mas o atacante não se incomodou e bateu justamente no lado que o goleiro apontou, balançando as redes aos cinco minutos. Depois de tanta provocação, Volpi saltou para o outro canto.

Ao contrário do que se poderia imaginar, o gol não empurrou o Palmeiras na busca pelo aumento da vantagem. Aos dez, Rodrigo bateu falta para a área alviverde e a zaga tirou, mas Fernando Prass ainda foi obrigado a trabalhar no rebote do adversário. Pouco depois, Rodrigo bateu falta da esquerda, a bola passou por todo mundo e carimbou o travessão, mas a arbitragem marcou impedimento de Douglas Marques, que tentou desviar de cabeça no meio do caminho.

O jogo ainda ficou um pouco mais quente, com desentendimento entre Arthur e Leandro, mas logo voltou ao normal. O Figueirense sentia a necessidade de partir para o ataque, mas nem sequer aproveitou durante o primeiro tempo a clara falta de entrosamento na dupla de zaga palmeirense, formada pelo reserva André Luiz e pelo volante improvisado Marcelo Oliveira.

Já perto do fim do primeiro tempo, o Verdão enfim voltou a buscar o ataque, mesmo que de forma tímida. Mendieta roubou a bola de Willian, não deixou Alan Kardec dar sequência ao lance e preferiu finalizar, para longe da meta. Antes do apito para o intervalo, Gilson Kleina perdeu Wendel, que sentiu lesão, e foi ousado ao colocar Ananias, deslocando Márcio Araújo para a lateral.

Para a segunda etapa, o treinador também teve de tirar Leandro, que sentiu dores no tornozelo e cedeu sua vaga a Serginho. Depois de ter atuado de forma apática durante a maior parte do primeiro tempo, o time paulista voltou arrasador depois do intervalo. Em sua primeira jogada ofensiva, Ananias invadiu a área pela esquerda, driblou Bruno Pires e foi derrubado por Douglas Marques. O árbitro anotou pênalti, que foi convertido pelo paraguaio Mendieta, aos três.

Apenas cinco minutos depois, o Palmeiras ampliou. Em nova jogada pela esquerda, Ananias cruzou para Alan Kardec cabecear. A bola desviou na zaga e enganou o goleiro Tiago Volpi. Com a desvantagem no placar, Vinícius Eutrópio fez duas alterações, com o ex-palmeirense Tinga e também Maylson nas vagas de Rodrigo e Everton Santos.

O clube catarinense ainda se esforçou pelo menos para descontar. Henrique Miranda chegou pela esquerda e rolou atrás para Pablo, que arrematou para fora. No lance seguinte, Pablo carregou a bola de frente para a área e bateu forte, exigindo defesa de Fernando Prass.

Aos 38, o Palmeiras marcou o quarto. O lateral esquerdo Juninho recebeu bom passe, driblou o goleiro e tocou para Serginho, que chutou para o gol aberto. Os jogadores do Figueira ainda reclamaram de impedimento inexistente e não puderam impedir a goleada.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade