Futebol/Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Com golaço e expulsão de Leandro, Verdão amplia folga para 5º lugar

São José do Rio Preto (SP)

O Palmeiras não precisou ser brilhante para se aproximar ainda mais do acesso. Leandro fez um golaço no primeiro tempo e foi expulso no segundo, mas fez em campo o suficiente para iniciar a vitória por 2 a 0 sobre o Oeste, em São José do Rio Preto, que amplia a folga do líder da Série B do Brasileiro na busca pela volta à primeira divisão.

Com os três pontos somados nesta terça-feira, o Verdão atingiu 59 pontos, agora a 17 do Joinville, quinto colocado, com 12 rodadas restando na competição. O time ainda manteve os dez pontos de vantagem, mas com uma partida a mais, em relação à segunda colocada Chapecoense.

Nas contas da comissão técnica, bastam mais cinco pontos para o clube sacramentar o retorno à elite. Proximidade possível graças a um golaço de Leandro que recebeu de Valdivia após o chileno ajeitar a bola com a mão e tocou para o atacante deixar goleiro e zagueiro adversários no chão antes de balançar as redes, aos 16 minutos da etapa inicial. No fim, Serginho selou o 2 a 0 nos acréscimos.

Atrapalhado pela péssima qualidade do gramado do estádio Benedito Teixeira, o jogo teve fraco nível técnico e Leandro ainda foi expulso após, em dois minutos, levar amarelos por chutar um rival propositalmente e finalizar a bola com o lance já parado por impedimento. Na mesma jogada, aos 23 minutos do segundo tempo, o goleiro Fernando Leal agrediu Leandro com um soco e também recebeu o cartão vermelho.

Sem Leandro e também Valdivia, que levou amarelo por reclamação e estará suspenso um jogo antes dos três que será desfalque para servir a seleção chilena, o Verdão encara o ABC às 16h20 (de Brasília) de sábado, em Natal (RN). Já o Oeste, ainda brigando contra o rebaixamento, encara o Boa na sexta-feira, às 19h30.

O jogo – O Palmeiras percebeu com 15 segundos que um típico problema que enfrenta na Série B não apareceria nesta noite: apanhar sem ver o adversário ser punido. Foi esse o tempo que o volante Everton Dias demorou para levar cartão amarelo ao dar rasteira e empurrar Valdivia.

Ao perceber que a violência do Oeste não atrapalharia, bastava ao Verdão se ajeitar em campo. Preocupado com a ofensividade dos alas da equipe de Itápolis, escalada no 3-5-2, Gilson Kleina abriu mão do 4-3-3 e optou por três volantes no time titular pela primeira vez desde a eliminação na Copa do Brasil.

O meio-campo palmeirense tinha Márcio Araújo quase sem subir, com Charles comandando a saída de bola tendo Wesley o acompanhando e Valdivia próximo da dupla de ataque formada por Leandro e Alan Kardec. Com essa formação, tocando a bola, o líder da Série B envolvia o rival, tendo como obstáculo apenas o gramado cheio de formigueiros e buracos.

Os três zagueiros do Oeste nem incomodavam, tanto que Alan Kardec passou por dois deles com um drible só antes de chutar fraco aos nove minutos e subiu mais do que todos para cabecear rente à trave dois minutos depois, com Leandro quase chegando para desviar. Entre esses lances, Valdivia quis dar uma finta quando tinha só o goleiro à frente e também perdeu boa oportunidade.

Mas o domínio mostrava que o gol palmeirense era questão de tempo. E saiu aos 16 minutos, em jogada polêmica. Leandro arrancou do campo de defesa, recebeu de Charles perto do círculo central e tocou no bico esquerdo da grande área para Valdivia, que se desequilibra, ajeita a bola para si com a mão, aplica uma letra para driblar um rival e devolve para Leandro, que deixou o goleiro Fernando Leal e Eric no chão antes de fazer um golaço.

Após abrir o placar, o Verdão, que nem parecia visitante diante do estádio quase lotado com torcedores vestindo verde e branco, diminuiu seu ritmo, até dando espaço para o Oeste tocar a bola no seu campo. Quem mais aparecia neste cenário era o volante Wendel, improvisado na lateral direita no lugar do machucado Luis Felipe, mas o camisa 13 se destacava mais por empenho do que agindo ofensivamente.

Faltava ao adversário do líder, porém, qualidade para fazer Fernando Prass trabalhar. O Palmeiras, por sua vez, assustava quando voltava a tocar a bola na frente, e foi assim que Valdivia ajeitou para Wesley acertar a trave, aos 42 minutos. Muito pouco, mas suficiente para a vitória parcial a caminho do intervalo.

No segundo tempo, não foi a bola que chamou atenção. O árbitro passou a não poupar cartões amarelos a cada falta, forte ou não, que ocorria na partida. Valdivia se aproveitou disso, abusando da reclamação até levar o cartão que o deixa suspenso para enfrentar o ABC, no sábado, em Natal, e o torna desfalque um jogo antes dos outros três nos quais estará com a seleção chilena.

O que passou a ser questão de tempo foram expulsões, e ocorreram duas de uma vez. Um minuto após levar amarelo ao chutar a coxa de um adversário propositalmente, Leandro bateu a bola no gol após o árbitro marcar impedimento e foi excluído. No mesmo lance, aos 23 minutos, o goleiro Fernando Leal agrediu o atacante com um soco, recebendo o cartão vermelho direto.

Depois disso, foram apenas cartões amarelos, mas nenhum lance de perigo. O Verdão, em vantagem no placar, não quis se desgastar além do necessário nas grandes dimensões do estádio Benedito Teixeira, em São José do Rio Preto, e prendeu a bola à espera do apito final. Antes, porém, Serginho aproveitou belo lançamento de Wesley para bater na saída do goleiro e fechar o marcador aos 48 minutos do segundo tempo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade