Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Delegada pretende identificar torcedores que brigaram no Morumbi

São Paulo (SP)

Os torcedores do São Paulo que se envolveram em uma briga com policiais militares no intervalo do clássico contra o Corinthians, no Morumbi, poderão responder criminalmente pelo episódio. Em entrevista à TV Gazeta, exibida no programa Mesa Redonda deste domingo, a delegada Margarete Barreto prometeu agir.

“Vamos instaurar inquérito por formação de quadrilha ou bando para identificar os torcedores”, avisou a delegada, comunicando a detenção de um adolescente – liberado em seguida – por causa do tumulto. “Ele foi entregue a um amigo, pois a família não estava aqui. Ele estava sentado no setor destinado à torcida organizada.”

Margarete ainda chamou a atenção para a violência que envolveu o empate sem gols entre São Paulo e Corinthians deste fim de semana. “Foi um clássico tumultuado, cheio de problemas, com bombas e conflito. Não foi um saldo positivo para a segurança publica”, declarou.

Esportivamente, o São Paulo também corre o risco de punição. O presidente corintiano Mário Gobbi foi um dos que cobraram rigidez do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), principalmente porque o seu clube já foi prejudicado com a perda de mandos de campo por causa do mesmo problema.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Torcida do São Paulo fez festa na arquibancada, mas também brigou com policiais no Morumbi
Participando do programa Mesa Redonda, o vereador e ex-dirigente são-paulino Marco Aurélio Cunha opinou: “Deve ser feito um pente fino no futebol brasileiro, para acabar com isso. Mas sou contra as punições aos clubes, da forma danosa que são feitas. O são-paulino que se comportou bem não pode ser punido pela briga. Falo isso em favor de outros times também”.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade