Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Desgaste físico e rodada favorável fazem Lusa comemorar empate

São Paulo (SP)

A Portuguesa perdeu grande chance de aumentar a distância para a zona de rebaixamento ao empatar em casa em 1 a 1 com o Vitória. O resultado no Canindé, entretanto, não foi lamentado pelos jogadores e por Guto Ferreira. Segundo o treinador, o time não tinha condições físicas de buscar algo mais e foi recompensado pelo tropeços dos times que brigam contra a degola.

A comemoração do técnico tem explicação. O Criciúma foi derrotado pelo Corinthians em Itu por 1 a 0 e a Ponte Preta empatou em 1 a 1 com o Maracanã no último sábado. Neste domingo, o Vasco da Gama buscou igualdade improvável depois de sair perdendo por 2 a 0 para o Botafogo e passou a ser o primeiro time na zona de rebaixamento com 33 pontos.

“Não temos que lamentar. Não tínhamos força pra fazer melhor do que fizemos, mas tenho que ressaltar a entrega. A parte neural dos caras não está recuperada. Conseguimos um ponto importante e os rivais perderam ou empataram. São cinco pontos para o Vasco e é um jogo a menos para o final do campeonato. A cada vitória nossa, o Vasco precisará ganhar três”, exaltou o comandante rubro-verde.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Moisés diminuiu o prejuízo da Portuguesa jogando diante da torcida no Canindé neste domingo
Além de citar o desgaste físico para a Lusa não buscar a virada sobre o Vitória, Guto elegeu outra razão para justificar o tropeço em pleno Canindé. Para o técnico, a Lusa deixou de pontuar diversas vezes no Campeonato Brasileiro por se atirar desesperadamente ao ataque para passar à frente no placar e acabou derrotada nos minutos finais.

“Antes a gente queria ganhar muito e acabava levando o empate nos últimos minutos. Não precisávamos correr tantos riscos sendo que estávamos com um a menos com a lesão do Moisés Moura. Era melhor dar uma segurada e evitar um risco maior”, justificou. Já o meia Moisés, autor do único gol rubro-verde, pede que o foco seja voltado para o próximo final de semana.

“Queríamos a vitória, não tem como falar que não. Mas o empate pode ser visto como bom por termos saído atrás. Buscamos até o final, mas infelizmente não conseguimos. Agora é trabalhar e levantar a cabeça para o próximo jogo”, projetou o camisa 8, pensando no duelo com o Flamengo, às 16 horas (de Brasília) de domingo, na Arena Castelão.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade