Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Elenco são-paulino admite: derrota na Vila pode causar estrago

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Vencido por Goiás e Grêmio, o São Paulo precisa bater o Santos (em duelo marcado para 21h50 desta quarta-feira, na Vila Belmiro) para impedir que a crise retorne ao clube. Uma eventual terceira derrota consecutiva poderia devolver a equipe à zona de descenso com uma rodada de combinação desfavorável de resultados.

"Perder clássico já é difícil. Voltando para a zona de rebaixamento, muito pior. É frustrante perder clássico, a pressão aumenta, apesar de a torcida estar nos apoiando muito. Causaria danos, a gente perderia um pouquinho a confiança. E a tristeza é maior também", reconhece o atacante Luis Fabiano, um dos principais jogadores do elenco.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Time de Muricy pode voltar à zona de descenso
A distância para o Vasco, 17º colocado, é de apenas dois pontos. Por isso, caso o São Paulo seja derrotado, e a equipe carioca vença o Internacional (em Macaé, na quinta-feira), os dois clubes inverteriam a posição na classificação.

"Lutamos muito para sair de lá, sabemos o quão difícil é sair. Tivemos que ganhar três partidas seguidas. Temos consciência de que é um jogo importantíssimo. É fundamental pontuar de qualquer maneira, respeitando o Santos, mas sabemos que temos grandes chances de sair com a vitória se jogarmos como contra o Grêmio", adverte o artilheiro.

"Faltam muitas partidas ainda. Se voltarmos, não estará nada perdido. Mas a gente já teve uma experiência ruim, passamos várias rodadas na zona de rebaixamento e sabemos que é muito complicado. Ainda mais nesta fase, em que todas as equipes estão lutando por G-4 ou para ficar longe do rebaixamento. Não podemos bobear para não voltar a desconfiança", conclui.

O São Paulo passou 12 rodadas entre os últimos quatro e, depois do clássico na Vila, vai receber o Vitória, visitar o Cruzeiro e fazer clássico contra o arquirrival Corinthians, no Morumbi.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade