Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Em clima de guerra, América-RN vence Ceará pelo placar mínimo

Goianinha (RN)

Em partida válida pela 32ª rodada da Série B, o América-RN recebeu o Ceará no estádio Nazarenão, em Goianinha, e venceu pelo placar de 1 a 0. O gol foi marcado pelo centroavante Max, aos 36 minutos do segundo tempo. Com o resultado, a equipe alvirrubra chega aos 37 pontos e segue momentaneamente na 15ª posição. Por sua vez, o Vozão segue estacionado nos 48 pontos, ocupando o oitavo posto. Porém, a partida não ficou marcada pelo que aconteceu nas quatro linhas: o clima de guerra entre os torcedores roubou a cena e prejudicou a qualidade do espetáculo.

A confusão - Aos dez minutos da etapa inicial, o árbitro paulista Guilherme Ceretta de Lima paralisou a partida para retirar a grande quantidade de papel higiênico arremessada no gramado, que impossibilitava as investidas pela ponta esquerda do América-RN. A tarefa foi feita com a ajuda dos gandulas, que estavam postados à frente da faixa de uma torcida organizada do Fortaleza, rival do Ceará.

A parceria entre os torcedores alvirrubros com os tricolores do Pici incendiou o embate, antecedido com um lamentável confronto entre os torcedores potiguares e alvinegros nos arredores do estádio. A briga, que só cessou após a intervenção dos policiais, teve um saldo lamentável: quatro torcedores americanos foram baleados na perna e um foi atingido de raspão, no bolso da calça. Ambos foram encaminhados ao hospital local.

Embora não tenha identificado o autor dos disparos, as autoridades locais trabalham com a hipótese da ligação do incidente com o assalto a um posto de gasolina nos arredores do campo. Segundo os funcionários do estabelecimento, os vândalos eram torcedores do clube visitante.

No intervalo, a briga voltou a ocorrer: os torcedores se estranharam na arquibancada e iniciaram uma nova confusão. A polícia, que arremessou bombas de efeito moral em direção à confusão, também foi protagonista de uma cena lamentável, após expulsar do estádio um fotógrafo que registrava os momentos de conflito.

O jogo - A primeira chance de perigo da partida veio aos sete minutos, quando o camisa 10 alvirrubro Régis, em cobrança de falta na intermediária, buscou o ângulo esquerdo de Fernando Henrique. A bola caprichosamente encobriu o travessão cearense. Aos 17, os alvirrubros voltaram a assustar, desta vez com Rodrigo Pimpão. O atacante, com passagem pelo Vasco da Gama, aproveitou um preciso cruzamento do lateral Norberto na ponta direita e desviou de cabeça, mandando a bola rente à trave direita do goleiro alvinegro. Os cearenses responderam dois minutos depois, com uma cabeçada do centroavante Mota, que Andrey defendeu sem sustos.

Mesmo com uma escalação ofensiva, com apenas um volante de ofício, João Marcos, o Ceará não escapou da pressão alvirrubra. Aos 24 minutos, Fernando Henrique se esticou para evitar um gol olímpico de Régis. Três minutos mais tarde, Rodrigo Pimpão arriscou da meia esquerda e obrigou o goleiro a trabalhar novamente. Com 31 jogados, o centroavante Max recebeu um cruzamento e testou firme, exigindo nova intervenção do arqueiro.

Somente no final do primeiro tempo os comandados de Sérgio Soares voltaram a assustar a meta de Andrey. Aos 39 minutos, o meia Lulinha finalizou firme e mandou a bola próxima à trave esquerda do goleiro. Três minutos mais tarde, Mota recebeu lançamento na área, matou no peito mas sofreu o desarme na hora da finalização. A resposta alvirrubra veio aos 43, quando Rodrigo Pimpão recebeu na intermediária, cortou a marcação e bateu cruzado, à direita de Fernando Henrique.

Logo aos oito minutos da etapa complementar, o América-RN criou a chance mais clara da partida: Wanderson apareceu como um elemento surpresa no ataque, invadiu a área e finalizou forte, mas parou em Fernando Henrique. Aos 11, Régis recebeu de Rodrigo Pimpão na área e concluiu, exigindo nova intervenção do inspirado arqueiro. Aos 18, o Ceará respondeu em finalização do meia Ricardinho, que obrigou Andrey a se esticar para praticar a defesa.

Aos 24 minutos ocorreu o lance mais polêmico da partida: o lateral-esquerdo Vicente invadiu a área, passou pela marcação e recebeu um carrinho. Porém, Guilherme Ceretta de Lima mandou o jogo seguir, provocando a ira da comissão técnica alvinegra.

Após muita insistência, aos 36 jogados, o América-RN inaugurou o marcador: o meia Cascata, que havia acabado de entrar no lugar de Adílson Goiano, foi travado em sua finalização na área. Porém, a defesa cearense não afastou a bola, e o oportunista Max aproveitou a sobra para finalizar rasteiro, vencendo Fernando Henrique.

Com a expulsão do experiente centroavante Mota, aos 39 minutos, esperava-se mais tranquilidade dos comandados de Leandro Sena para consolidarem o resultado. Porém, o zagueiro Édson Rocha também foi expulso, fazendo com que a partida tomasse contornos de emoção até os últimos instantes.

Na próxima rodada, o América-RN tem pela frente um clássico potiguar, diante do ABC, no estádio do Frasqueirão. A partida será às 17h20 do próximo sábado. No dia anterior, ás 21h50, o Ceará mede forças com o Atlético-GO no estádio Serra Dourada.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade