Futebol/Campeonato Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Em súmula, juiz relata portão trancado na partida entre ABC e Azulão

Natal (RN)

As acusações dos dirigentes do São Caetano contra o tratamento dispensado pela diretoria do ABC em partida disputada entre as duas equipes, no estádio Frasqueirão, na última terça-feira, ganharam força com a divulgação da súmula da partida. O árbitro baiano Arilson Bispo da Anunciação relatou que dois cadeados mantiveram os portões do vestiário do Azulão trancados, impedindo que a equipe paulista realizasse o aquecimento no gramado.

"Fui informado pelo quarto árbitro da partida que houve um atraso na entrega da relação da equipe do São Caetano à imprensa de 15 minutos, devido ao túnel que dá acesso ao gramado estar fechado com dois cadeados e com seguranças da equipe do ABC", disse o juiz na súmula.

A versão oficial da diretoria do ABC, apresentada por Wilson Cardoso, é de que um dos cadeados apareceu “misteriosamente” no portão.

“O ABC sempre coloca um cadeado para a proteção dos próprios atletas. Quando nós fomos liberar o vestiário, apareceu misteriosamente um cadeado por dentro, que não era do ABC. Então um funcionário do ABC teve que serrar esse cadeado, que foi entregado ao delegado da partida”, disse Cardoso em entrevista ao Premiere FC.

Este incidente pode representar nova punição ao ABC, que foi multado em R$ 30 mil pelo STJD por causa do tumulto causado na partida contra o Palmeiras, no último dia 5, por possível superlotação no Frasqueirão.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade