Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Falta de espaço e gol evitado em cima da linha irritam Guto

Bruno Grossi, especial para a GE.net São Paulo (SP)

Diferentemente das últimas rodadas, a Portuguesa não conseguiu criar grandes chances de gol, muito menos contou com o faro do artilheiro Gilberto e ainda saiu derrotada por 2 a 1 para o Goiás. Mas para o técnico Guto Ferreira, o setor ofensivo da equipe não deve ser culpado pelo tropeço em pleno Canindé, e sim o equilíbrio entre os times.

“O Gilberto só teve chance em um lance em que estava pressionado, de choque. Se houve pênalti ou não (chegada de Ernando), eu não sei, mas ele não teve a liberdade que teve em outros jogos. É trabalho de marcação do Goiás. Eles também não tiveram espaço, as duas equipes marcaram muito e não teve bola clara para ninguém”, analisou o comandante, isentando o autor de 13 gols na Série A.

Perguntado se o problema seria a falta de treinamentos de finalização às vésperas do confronto com os goianos, Guto não escondeu a irritação. “Ninguém me cobrou treinamento contra Santos e Corinthians (goleadas por 3 a 0 e 4 a 0, respectivamente). Foi a marcação forte do Goiás que causou isso. Se os espaços não existem e o tempo é curto, a bola precisa chegar muito boa. E quando ela cegou, só chegou em disputa, em choque”, sentenciou.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Guto Ferreira exaltou o empenho de seus comandados, mas lamentou barreira imposta pelos goianos
Guto também lamentou dois lances no segundo tempo que poderiam ter mudado a história da partida. Primeiro o zagueiro Valdomiro completou cruzamento com cabeçada certeira, bateu o goleiro Renan, mas viu o volante David salvar em cima da linha. Depois, Luis Ricardo tabelou com Bergon, invadiu a área e bateu de bico rente à trave esquerda, arrancando até gritos de gol de parte da torcida.

“Não gosto de falar em azar, mas você pega o lance do Valdomiro, ele subiu sozinho, cabeceou bem e o cara me tira em cima da linha. Na jogada do Luis Ricardo, que foi por aproximação, a bola não entrou por detalhe. Falar em sorte é mais por incompetência de trabalhar, mas hoje (quinta) não tivemos uma noite feliz”, declarou.

Além da forte marcação, Valdomiro destacou a letalidade do ataque do Goiás no Canindé. Segundo o defensor, os visitantes chegaram com perigo apenas duas vezes e o resultado foram os gols de Hugo, no primeiro tempo, e Walter, na etapa complementar: “Foi um jogo difícil. Tivemos chances de ganhar, mas eles fizeram as duas que criaram”.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade