Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Interferência política garante jogo contra o Grêmio no Mineirão

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

Reviravolta na punição imposta pelo STJD ao Cruzeiro. A Raposa foi punida com um jogo de suspensão por incidentes no clássico contra o Atlético-MG, jogado no Independência. Com isso, o duelo contra o Grêmio teria que ser jogado a pelo menos 100 km de Belo Horizonte. A reviravolta aconteceu devido à interferência política, e o jogo será realizado no Gigante da Pampulha.

O senador e ex-presidente do Cruzeiro Zezé Perrella e o também senador Aécio Neves conversaram com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e conseguiram que o jogo contra o Grêmio, que pode dar o título ao Cruzeiro, seja jogado no Mineirão. Os políticos alegaram que os incidentes no clássico aconteceram no mando do Atlético-MG, e que, por isso, a punição no jogo contra o Grêmio seria injusta, já que o Galo, como mandante, é que deveria ser responsabilizado.

“Tivemos a conversa com a CBF porque o mando de campo era do Atlético-MG, não foi o Cruzeiro que colocou as duas torcidas juntas. Além disso, a CBF deu autonomia para escolher o jogo que ia pagar o mando, que deve ser contra a Ponte Preta. Entendemos que era uma grande injustiça, e como a CBF tem autonomia para atuar, liberou. Também alegamos que muitos ingressos já haviam sido vendidos”, declarou Zezé Perrella.

O Cruzeiro se pronunciou em nota sobre o assunto afirmando que aguarda a oficialização do jogo no Mineirão. “Conversamos com o pessoal da CBF, que vai confirmar o jogo para o Mineirão. Estamos aguardando ainda sair a nota oficial sobre a partida. Isso deve acontecer no decorrer da tarde”, disse o diretor de comunicação Guilherme Mendes.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade