Futebol/Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Kleina admite início ruim, mas destaca competência do Palmeiras

Londrina (PR)

O técnico Gilson Kleina reconheceu que o Palmeiras não teve um bom desempenho no início da partida contra o Guaratinguetá, na noite desta sexta-feira. Porém, o treinador advertiu que o time teve de se ajustar sem vários titulares e conseguiu se organizar durante o confronto para obter a vitória por 1 a 0, em Londrina.

“Não iniciamos bem o jogo, e o Guaratinguetá estava mais forte. Nossa marcação estava lenta, mas, depois, o time se ajustou. Querendo ou não, o ritmo é diferente de quem entra. No segundo tempo, o adversário não assustou, e nossos jogadores estão de parabéns, porque foram competentes”, avaliou.

Nesta sexta, Kleina ainda não pôde contar com Henrique (está na Seleção Brasileira), Valdivia (seleção chilena) e Wesley (suspenso). Além dos três titulares, o Verdão também não teve reservas, como Tiago Alves e Wendel (lesionados) e Eguren (seleção uruguaia).

Com todas as dificuldades, o Palmeiras se surpreendeu com a postura ofensiva do Guaratinguetá, que depositava suas esperanças nas bolas aéreas do ex-corintiano Coelho. Kleina, inclusive, acredita que o adversário mostrou força justamente por ter atletas que passaram por clubes tradicionais, como Wendel (ex-Corinthians), Bruno Formigoni (ex-São Paulo), Saulo (ex-Santos) e Alex Afonso (ex-Palmeiras).

“Nosso meio estava batalhando, mas a bola caía nos pés do Renato Peixe e do Formigoni. Eles têm vários jogadores que passaram por equipes grandes e não sentem, mas a dificuldade foi até os 25 minutos. Depois disso, avançamos a marcação, e o Juninho e o Luis Felipe estavam participando mais nas laterais”, completou.

O gol marcado pelo zagueiro Vilson aos 44 minutos do primeiro tempo determinou a vitória do Palmeiras, que quase não foi ameaçado pelo clube do interior paulista na etapa final.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade