Futebol/Brasileiro Série A - ( - Atualizado )

Luxemburgo dirige treino e deve ser mantido até domingo

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

Os rumores sobre uma possível de demissão do técnico Vanderlei Luxemburgo ainda não se concretizaram. Pelo menos não até a manhã desta quarta-feira, quando o treinador apareceu normalmente no gramado das Laranjeiras para comandar um treinamento tático. Contando com todos os membros da comissão técnica, ele trabalhou normalmente na preparação para o clássico deste domingo, às 19h30(de Brasília), no Maracanã, no Rio de Janeiro, contra o Flamengo, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com 36 pontos conquistados e sem vencer há sete partidas, o Tricolor está a apenas três pontos de Ponte Preta e Vasco, que fecham a zona de rebaixamento.

Se não crava a sua permanência nas Laranjeiras até o fim do ano, a presença de Vanderlei Luxemburgo no treino dá sinais de que ele deverá ser mantido até o clássico. A demissão do treinador começou a ser dicutida na segunda-feira em uma reunião do qual participaram o presidente Peter Siemsen e Rodrigo Caetano, diretor-executivo do departamento de futebol. Como o empresário Celso Barros, presidente da Unimed, principal patrocinadora do clube, não conseguiu ser localizado, nenhuma decisão foi tomada.

Um nova reunião varou a madrugada de quarta-feira, dessa vez com a presença de Celso Barros. Peter parecia irredutível quanto a decisão de demitir Luxemburgo, ainda mais depois de o Vasco, concorrente direto na luta contra o rebaixamento, ter trocado o comando técnico, substituindo Dorival Júnior por Adilson Batista. O presidente chegou a tomar a iniciativa de sondar Caio Júnior, que recentemente deixou o Vitória. O nome de Paulo Autuori também foi citado para desespero de Rodrigo Caetano que, mesmo tendo sido contrário a contratação de Luxemburgo, considera um erro uma troca neste momento. Coube mais uma vez a Celso Barros dar a palavra final e o empresário convenceu Peter a esperar o clássico contra o Flamengo.

Photocamera
Muito ameaçado, Vanderlei Luxemburgo ganhou um voto de confiança e segue no comando do Fluminense (Foto: Fernando Cazaes/Photocamera)

Assim que a reunião acabou Celso Barros telefonou para Vanderlei e informou que ele estava mantido e que deveria comandar normalmente as atividades de quarta-feira. Logo pela manhã o treinador chegou ao clube e dirigiu o treino tático. Falando pouco e observando bastante, Luxa não deu sinais da equipe que pretende mandar a campo. Mas deverá ganhar um bom reforço, já que o meia Wágner deu sinais de que está recuperado da luxação no ombro esquerdo sofrida na derrota de 1 a 0 para o Cruzeiro e que lhe tirou dos dois últimos jogos. A tendência é que ele seja relacionado para o clássico.

Outra novidade no treino foi a presença do lateral direito Wellington Silva, que foi liberado para trabalhar no gramado. O jogador, que se submeteu a uma cirurgia no tornozelo esquerdo, não tem previsão de volta ainda. Nesta quinta-feira os jogadores treinam na parte da tarde, enquanto que na sexta e no sábado as atividades serão pela manhã.

Fora de campo o atacante Michael, afastado pelo uso de drogas, continua participando de ações sociais. Na terça-feira ele deu uma palestra sobre drogas lícitas e ilícitas no Salão Nobre das Laranjeiras. O jogador falou para um público formado por atletas do time juvenil do Fluminense. Punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por 16 meses, ele tem chance de conseguir retornar no início de 2014, quando o departamento jurídico tentará reverter metade da pena imposta pelo Tribunal.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade