Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Mesmo "horrível", cantoria do time nas viagens anima Muricy

Tossiro Neto São Paulo (SP)

O astral no São Paulo nunca esteve tão bom, desde que Muricy Ramalho voltou ao clube. Ele conta que, há algumas partidas, o elenco retomou a cantoria nos ônibus, tradicional em times de futebol, mas esquecida pelos jogadores após o período de maior crise na atual temporada.

"O ambiente mudou muito. Quando acaba os jogos, como na Bahia e no Chile, os jogadores estão cantando no ônibus. Nunca fizeram isso. O clima é outro. Eles estão contentes. Em um lugar como este, o cara tem que estar feliz", disse o treinador, não sem criticar a qualidade musical de seus atletas. "Horrível, como era no Santos".

Fernando Dantas/Gazeta Press
Ônibus são-paulino agora tem festa dos jogadores: clima bem diferente do vivivo na época de crise
A fase é bem diferente daquela em que Muricy chegou. Apresentado em 10 de setembro, com o time na zona de rebaixamento. Com o novo treinador, foram oito vitórias, dois empates e três derrotas ao todo, incluindo os dois jogos pela Copa Sul-americana (um empate e uma vitória sobre a Universidad Católica).

"A gente percebia que não só os jogadores estavam para baixo, mas as pessoas do CT, da portaria, da cozinha, fisioterapia. Dá para perceber que no dia a dia mudou muito já. O próprio cumprimento entre eles. Isso é fundamental em um local de trabalho", defende, ao lembrar que isso se deve ao esforço em conjunto da comissão com o grupo .

"É difícil conhecer cada um individualmente, mas o time já tem um perfil de que sabe o que quer dentro de campo. Está muito focado. A gente sabe das nossas limitações, mas temos um time muito bem formado e que melhorou na parte física. As linhas estão muito juntas", concluiu.

O próximo compromisso será diante do Internacional, às 16 horas (de Brasília) de domingo, pela competição nacional. Com esperança de cantoria horrível na viagem de volta de Caxias do Sul.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade