Futebol/Bastidores - ( )

Palmeiras ‘esquece’ acesso e tenta arrumar a casa para o centenário

São Paulo (SP)

Antes da confirmação do retorno à Série A do Campeonato Brasileiro, a diretoria do Palmeiras evitava falar sobre o planejamento para o ano do centenário. Agora, com o feito conquistado no último sábado, diante do São Caetano, a meta é ‘arrumar a casa’ para voltar a brigar por títulos em 2014. A missão, no entanto, não é tão simples. No atual elenco, 13 jogadores encerram seus vínculos com o clube em dezembro de 2013, e nem mesmo o treinador Gilson Kleina, também com contrato até o final do ano, tem seu futuro garantido no Palestra Itália.

O diretor-executivo José Carlos Brunoro afirmava, até o jogo diante do São Caetano, que não falaria sobre a próxima temporada, mas, após a confirmação do acesso, já admitiu que vai começar a conversar sobre as possíveis renovações a partir desta terça-feira. Ciente de haverá mudanças no elenco, o goleiro Fernando Prass vê com naturalidade a postura adotada pela gestão alviverde.

“Temos uma base boa, e, em relação ao próximo ano, qualquer time, até mesmo o Cruzeiro, que é o melhor do Brasil atualmente, é natural que se reforce ou perca jogador. Quando você faz uma campanha com visibilidade, o jogador acaba se valorizando”, disse o arqueiro do Palmeiras, que tem contrato assinado com o Alviverde até 31 de dezembro de 2015.

O principal nome na pauta é o treinador Gilson Kleina. Mesmo depois de ter cumprido suas metas, o treinador vê o seu trabalho, frequentemente, como alvo de questionamentos. A diretoria do Palmeiras admitiu que não deve demorar a falar sobre o assunto com o comandante, podendo atender, até mesmo, o pedido dos jogadores, que vêm defendendo a permanência do técnica.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Boa parte do elenco do Palmeiras pode ser renovado para o ano do centenário do clube do Palestra Itália
“As pessoas poderiam acompanhar, assistir aos treinos, ver o que ele passa, o que faz. Um técnico de nome talvez não conseguiria fazer o que ele fez, mas, infelizmente, não é valorizado. Se ficar ou não, ele vai ter o seu mérito e seu trabalho reconhecidos em outro clube”, defendeu Márcio Araújo, que vive situação semelhante a de Gilson Kleina, com contrato até o final do ano.

Questionado sobre a renovação, o volante do Palmeiras mostrou tranquilidade e preferiu falar sobre o seu “legado” deixado com a camisa alviverde. “Se perguntar a todos sobre a dedicação que tenho, como entrei nos jogos ou treinei quando solicitado, todos sabem que me entreguei totalmente. Independente dos que falam mal, aproveitei as chances que tive e sou muito feliz por isto”, disse Márcio Araújo.

Titular absoluto, o volante divide essa ansiedade pela renovação com mais 12 jogadores, que também não têm certeza sobre o futuro. Emprestados pelo Grêmio, na negociação que envolveu a saída de Hernán Barcos, Léo Gago, Rondinelly e Leandro podem retornar ao clube gaúcho, apesar de a diretoria alviverde ter manifestado interesse na permanência do atacante.

Emprestados pelo Cruzeiro, o atacante Ananias e os volantes Marcelo Oliveira e Charles vivem situação semelhante aos companheiros ex-gremistas, assim como o os laterais Fernandinho e Wendel, os zagueiros André Luiz e Vilson, goleiro Bruno e o meia Ronny.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade