Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Para D’Ale, gol sofrido em casa foi determinante na eliminação

Do correspondente Vicente Fonseca Porto Alegre (RS)

A missão do Internacional, após empatar em 1 a 1 com o Atlético-PR jogando em casa, era buscar uma vitória na Vila Capanema para seguir adiante na Copa do Brasil. O empate em 0 a 0 acabou classificando o Furacão pela primeira vez à semifinal do torneio e praticamente encerrou o ano colorado, já que a equipe tem poucas chances de G-4 no Brasileirão.

Para o meia D’Alessandro, o gol sofrido em Novo Hamburgo acabou pesando e fez a diferença no somatório dos dois jogos: “a gente sai da Copa do Brasil de cabeça erguida, não se pode reclamar de falta de vontade. Nós enfrentamos um time forte, num campo difícil, e saímos apenas pelo gol tomado em casa”, avaliou o camisa 10 do Inter após o apito final.

D’Ale também inocentou Clemer de qualquer culpa pela eliminação. No empate em 1 a 1, dia 26 de setembro, o Colorado ainda era treinado por Dunga: “o Clemer está fora disso, a gente só vê coisa positiva nele. Ele só acrescentou, pois conhece bem o grupo e vem dando continuidade ao trabalho que era feito pelo Dunga, que era bom, mas não teve os resultados esperados”, concluiu o argentino.

Eliminado da Copa do Brasil e a oito pontos do G-4 no Brasileiro, o Inter agora torce para que Grêmio ou Atlético-PR vençam a Copa do Brasil e para que nenhum brasileiro conquiste a Copa Sul-Americana para sonhar com uma vaga na Libertadores. A distância para o Goiás, clube que hoje herdaria esta vaga extra, é de 4 pontos.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade