Futebol - ( )

Patrulha em baladas não irrita Paulo André: "Faço minhas coisas em casa"

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Paulo André disse não ter se incomodado com a notícia de que torcedores têm acompanhado o comportamento social dos jogadores do Corinthians e os interpelado em casas noturnas. O zagueiro manifestou tranquilidade porque procura manter seu divertimento com portas fechadas.

“Eles estão no direito deles de fazer a manifestação que quiserem. Eu estou tranquilo porque não vou para a balada, faço as coisas na minha casa”, afirmou o jogador, vendo com naturalidade a reação dos alvinegros insatisfeitos com o fraco segundo semestre da equipe.

“Para se jogar no Corinthians e se receber o salário que é pago, deve-se entender a responsabilidade. É preciso saber que existem 30 milhões de pessoas que têm dias mais felizes ou menos felizes de acordo com o resultado do clube”, comentou o atleta de 30 anos.

Divulgação/Agência Corinthians
Paulo André prefere marcar seus divertimentos para a própria casa (foto: Daniel Augusto Jr.)
Paulo André fez a ressalva de que o problema da falta de comprometimento não é restrito aos jogadores de futebol. Porém, segundo ele, os profissionais dos grandes clubes estão mais expostos e devem saber lidar com a situação, especialmente quando a fase não é das melhores dentro de campo.

“Quando você entende isso e é um profissional dedicado, sabe que tem o momento de fazer de tudo: tomar cerveja, beber um vinho, ir ao pagode ou ao sertanejo. Em um momento mais difícil, deve-se respeitar a torcida, trabalhando e ficando em casa.” Nem que seja para uma festa privada.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade