Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Paysandu e ABC lutam contra a degola em Belém

Belém (PA)

O elenco do Paysandu não teve tempo para refletir os incidentes ocasionados pela derrota no jogo passado, diante do Avaí, no estádio da Curuzu, pelo placar de 2 a 0. Quatro dias após o “jogo que não acabou”, os paraenses terão pela frente um novo desafio no Campeonato Brasileiro da Série B: a equipe recebe o ABC, em partida atrasada da 29ª rodada da competição. O desesperado Papão ocupa a vice-lanterna da tabela, com 29 pontos, enquanto que os potiguares, também em situação preocupante, figuram no primeiro posto após a zona do rebaixamento, com 35. O palco do embate será o estádio do Mangueirão, já que o campo da última apresentação bicolor foi suspenso pela CBF durante o período de 30 dias.

Violência da torcida encerra jogo e Paysandu cai para o Avaí

Acompanhando a derrota de seu time no acanhado estádio da Curuzu, a torcida do Paysandu protagonizou um feito lamentável: impediu que o jogo prosseguisse, praticando atos de violência. Objetos foram arremessados em direção do banco catarinense e uma bomba chegou a explodir no gramado. Neste contexto, o árbitro carioca Grazianni Maciel Rocha finalizou a partida. Para conter a euforia dos torcedores do Papão, os policiais usaram gás de pimenta.

Após o apito final, os torcedores se dirigiram às adjacências da Curuzu, onde apedrejaram o carro do centroavante Marcelo Nicácio e do diretor Leonardo Maia. Porém, não há tempo para digerir o vandalismo. Sob o comando do técnico Vágner Benazzi, o Paysandu procura focar somente no duelo diante do ABC, um adversário direto na briga contra a Série C.

Antes do confronto decisivo, Benazzi fez mistério, mas uma alteração é certa: o jovem lateral-esquerdo Gílton, muito criticado pelos torcedores após falhar no jogo passado, sequer será relacionado para o duelo. Para suprir tal ausência, o comandante tem três opções: o lateral-direito Max, o zagueiro Pablo ou o meia Diego Barboza. Ambos atuariam improvisados na posição. Além de Gílton, o veterano atacante Iarley pediu sua recisão contratual após o clima hostil instaurado na Curuzu. A novidade fica a cargo do meia Cássio, ex-Fluminense, que pode fazer sua estreia com o manto bicolor.

Arte GE.Net

No lado potiguar, o técnico Roberto Fernandes não poderá contar com os dois jogadores que protagonizaram uma confusão na partida passada, a derrota diante do Guaratinguetá pelo placar de 4 a 2. Após se desentenderem, o zagueiro Flávio Boaventura e o meia Giovanni Augusto trocaram empurrões no gramado. Como já tinha o cartão amarelo, o defensor foi expulso pelo árbitro pernambucano Cláudio Mercante. Após receber o vermelho, Boaventura foi novamente para cima de Augusto, mas acabou contido pelos companheiros. Por sua vez, o camisa 10 está fora com uma lesão no tornozelo esquerdo. Assim, seus prováveis substitutos são o zagueiro Rogério e o meia Érick Flores.

Sobre o incidente, a diretoria do ABC afirmou que aplicará uma punição aos jogadores, mas que não culminará na recisão contratual. O provável é que ambos sejam multados e incorporados ao elenco principal logo após suas liberações. Porém, as baixas no elenco alvinegro não param por aí: os volantes Édson, suspenso, e Somália, entregue ao departamento médico, também seguem de fora.

No primeiro turno, em partida válida pela 10ª rodada da Série B, o ABC venceu o Paysandu pelo placar de 3 a 0, no estádio Frasqueirão, em Natal. Os gols do triunfo potiguar foram marcados por Guto, Pingo e Bileu. Destes três, apenas Bileu está entre os relacionados de Roberto Fernandes para o duelo.

FICHA TÉCNICA
PAYSANDU X ABC
Local: Estádio do Mangueirão em Belém (PA)
Data: 22 de outubro de 2013, terça-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Felipe Gomes da Silva (RJ)
Auxiliares: Marcelo Bertanha Barison (RS) e Clóvis Amaral da Silva (PE)

PAYSANDU: Matheus; Yago Pikachu, Fábio Sanches, Dirceu e Max (Pablo ou Diego Barboza); Vanderson, Zé Antônio, Diego Barboza (Cássio) e Eduardo Ramos; Dênnis e Marcelo Nicácio.
Técnico: Vágner Benazzi.

ABC: Wilson Júnior; Thiaguinho, Lino, Rogélio e Wesley Bigú; Bileu, Daniel Paulista, Júnior Timbó e Érick Flores; Gilmar e Rodrigo Silva.
Técnico: Roberto Fernandes.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade