Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Petraglia dispara contra São Paulo por Libertadores de 2005: “Bambinhos”

São Paulo (SP)

Oito anos se passaram desde a conquista da Copa Libertadores da América pelo São Paulo, em 2005. Porém, a polêmica sobre o mando de campo das finais daquele torneio, disputada contra o Atlético-PR em Porto Alegre e na capital paulista, não foi esquecida pelos paranaenses. Nesta terça-feira, em entrevista à ESPN Brasil, o presidente do Furacão, Mário Celso Petraglia, disparou contra a Conmebol, a CBF e ao próprio São Paulo, ao qual chamou por “bambinho”.

Tudo isto porque, em 2005, a Arena da Baixada foi impossibilitada de sediar a primeira partida da grande decisão, com mando do Furacão. A Conmebol barrou o estádio por considerar que ele não tinha a capacidade mínima para receber um jogo de final de Libertadores (40 mil). Na ocasião, o Atlético-PR iniciou a montagem de uma nova arquibancada para aumentar o espaço, mas, mesmo assim, teve de mandar seu jogo no estádio do Beira-Rio, em Porto Alegre. A partida terminou com placar de 1 a 1 e, na volta, no Morumbi, o São Paulo sagrou-se tricampeão da América após triunfar por 4 a 0.

“Quando nós chegamos ao Atlético-PR em 95, eu prometi a nossa torcida que seríamos campeões brasileiros em 10 anos. Fomos em 6 (anos) e quase bi em 10 (anos). Se não fossem as forças ocultas, nós teríamos sido bi. Se não fossem as forças ocultas nós teríamos sido campeões da Libertadores. Porque nos tiraram na mão grande, de uma forma vil do nosso estádio para jogar a final. Nós tínhamos os 40 mil lugares, eu tenho todos certificados. Da polícia, do CREA, dos Bombeiros. Certificando a capacidade. Por força de 'instruciones superiores' fomos jogar no Beira-Rio. Não foi o estádio, foi a desmoralização que nos fez perder. Dois meses depois, os bambinhos foram lá e tomaram de 4”, disparou o presidente do Atlético-PR, em participação no programa Bola da Vez.

Após dizer em 1995 que o Furacão seria campeão brasileiro em até dez anos (ergueu a taça em 2001), Petraglia voltou a fazer uma promessa para o torcedor rubro-negro paranaense: “Agora quando voltei, eu sou pretencioso, prometemos que em 10 anos seremos campeões do mundo. Se eu tiver saúde para isso, seremos. Não tem como não ser”, decretou. Atualmente, o Atlético-PR é o terceiro colocado do Campeonato Brasileiro e está garantido classificação para a Copa Libertadores da América do ano que vem, primeiro passo para a conquista do título do torneio organizado pela Fifa.

Divulgação
O presidente do Atlético-PR, Mário Celso Petraglia, criticou o tricampeonato continental do São Paulo

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade