Futebol/Bastidores - ( )

Pregando transparência, Deley lança candidatura à presidência do Flu

Rio de Janeiro (RJ)

O ex-meia do Fluminense Deley lançou de forma oficial, na manhã desta segunda-feira, em um hotel na zona sul do Rio de Janeiro, sua pré-candidatura às eleições presidenciais do clube, que acontecem no dia 23 de novembro. Sob o slogan “Modernidade e Tradição”, Deley, que é apoiado pelo principal grupo de oposição a Peter Siemsen, atual mandatário, disse que foi motivado por amigos tricolores a aceitar o desafio.

“Não aceito a pecha de ex-jogador. Se os clubes devem bilhões, a pergunta que eu faço é: dentro dessa dívida, foi algum ex-jogador que a administrou? No Bayern de Munique, o conceito para ter um cargo é ter jogado lá. Por que nós aqui não podemos? A gente está vindo acima de tudo porque existe um descontentamento com a atual situação”, declarou.

Deley disse acreditar que sua experiência como parlamentar – ele está em seu terceiro mandato como deputado federal – poderá ajudá-lo a administrar o Fluminense.

“Não posso e não partirei da premissa de que estou me metendo em um local onde todos são ladrões. Estou em Brasília como parlamentar e estou aqui como pré-candidato por acreditar que a gente possa contribuir bastante, principalmente pelo grupo e pelas pessoas que estão ao nosso lado. Quando nosso slogan fala em 'modernidade e tradição', é porque nossa equipe tem o que há de mais moderno. Não vim aqui para demonizar, para falar mal de ninguém. Queremos levar o debate ao bom nível, mas, como disse Ulysses Guimarães, se me cercar eu ataco. Ninguém ganha no grito”, disse.

Como críticas à atual administração do clube, Deley apontou questões como o contrato com o consórcio que administra o Maracanã e os altos salários pagos aos jogadores.

“Promessas não foram cumpridas, e são pagos salários altíssimos, fora da realidade financeira do clube. Há pessoas que recebem além do que merecem. Falta uma experiência maior para lidar com futebol. Falta harmonia. Como é que você faz um contrato de 35 anos com o Maracanã com um modelo que, na verdade, ninguém sabe qual é? Esses e outros contratos serão revistos. Minha administração será transparente. Não vou esconder nada de ninguém”, afirmou.

Apesar de elogiar as categorias de base do clube, o ex-jogador pretende investir mais em Xerém. “O Peter está dando uma atenção para Xerém, mas pode ir muito além. Cotia é um exemplo, o São Paulo já conseguiu mais de R$ 25 milhões através de leis. O que for bom eu vou continuar, o que não for a gente tira. Xerém é a minha "menina dos olhos". Toda semana estarei lá para ver tudo que está acontecendo. Lá é a grande “galinha dos ovos de ouro” do Fluminense”.

Aos 54 anos, o ex-meia, que conquistou quatro Campeonatos Cariocas (1980, 1983, 1984 e 1985) e um Brasileiro (1984) pelo Flu, ainda não sabe quem será seu adversário, já que Peter Siemsen não oficializou sua candidatura à reeleição, o que deve ocorrer no início do próximo mês.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade