Futebol/Brasileiro Série A - ( - Atualizado )

Rodrigo Caetano nega mudança de treinador: “Sem chance”

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

Na noite de domingo o Fluminense foi derrotado por 3 a 2 pelo Vitória, em pleno Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ), mesmo jogando com um homem a mais desde os 16 minutos do primeiro tempo, quando o zagueiro Kadu foi expulso após entyrada violenta no volante Diguinho. Apesar da vantagem numérica, o Tricolor não conseguiu ganhar e, tendo chegado a abrir 2 a 1, permitiu a virada dos baianos. Para agravar ainda mais a situação, estacionado com 36 pontos e sem vencer há sete jogos, está cada vez mais perto da zona de rebaixamento. Hoje apenas três pontos separam o Fluminense da zona de degola, que tem Vasco e Ponte Preta como os melhores colocados.

O cenário acima fez com que após a partida surgissem informações de que a diretoria iria demitir o técnico Vanderlei Luxemburgo. Porém, a possibilidade foi descartada pelo diretor de futebol Rodrigo Caetano. O dirigente garantiu que o treinador vai permanecer no cargo, mas não quis fazer projeções até quando. Além disso, se disse envergonhado com o que vem acontecendo.

"Não tem chance de mudar de treinador e não vou fazer um prognóstico sobre isso, o que aumentaria ainda mais os nossos problemas. Temos é que reverter rapidamente esta realidade. Estamos todos envergonhados com o que aconteceu, principalmente porque nos preparamos muito para essa partida", disse Rodrigo Caetano.

Divulgação/Fluminense F.C.
Ameaçado após mais uma derrota, Luxemburgo teve a sua permanência garantida pela diretoria do Fluminense

Vanderlei Luxemburgo, por sua vez, não comentou o risco de demissão, disse que faltou competência ao Fluminense e incentivou a cobrança por parte dos torcedores. "É explicar o inexplicável. Qualquer coisa que eu falar agora é lugar comum. O Vitória mereceu. Faltou competência ao Flu para alcançar o resultado. Estamos chateados, e o torcedor também. A cobrança existe se o torcedor do Fluminense estivesse satisfeito ele estaria errado", disse Vanderlei.

As declarações do treinador soaram como uma forte cobrança a alguns jogadores, o que pode gerar a revolta por parte deles. Algo que só poderá ser sentido nesta terça-feira à tarde, nas Laranjeiras, quando o plantel se reapresenta depois da folga de segunda-feira. Nos bastidores do clube se fala ainda que alguns atletas poderão ser afastados por conta de noitadas em excesso. Um dos poucos a falar, o atacante Rafael Sobis preferiu lamentar o resultado contra o Vitória.

"O time soube jogar com um a mais, tanto que viramos o jogo. Não sei o que aconteceu depois. Quando a fase é ruim, dá apagão. Levamos uma virada. É inadmissível isso. Estamos brincando com o perigo. O time, agora, vai sair pra jogar, tivemos duas partidas em casa que não vencemos. Corremos um risco que depois não dá mais para sair", disse Sobis.

Certo é que para a crise ser mandada para fora do clube é fundamental vencer já o próximo compromisso, o clássico diante do Flamengo, no próximo domingo, às 19h30(de Brasília), no Maracanã. Para este jogo é possível que Vanderlei possa contar com o retorno do meia Wágner, vetado conta de uma lesão no ombro esquerdo. O jogador será reavaliado pelo departamento médico.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade