Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Rogério Ceni clama por arbitragem melhor: “Já estamos uma b...”

Bruno Grossi, especial para a GE.net São Paulo (SP)

O São Paulo mais uma vez saiu de campo reclamando da arbitragem. Depois de culpar Heber Roberto Lopes pela derrota por 1 a 0 para o Grêmio no último domingo, os tricolores agora disparam contra Anderson Daronco. O árbitro não teria visto dois toques de Juan em cobrança de pênalti que resultou no primeiro gol do Vitória no triunfo são-paulino por 3 a 2 e foi alvo de Rogério Ceni no intervalo e no final da partida no Morumbi.

“O Heber chega aqui e faz o que fez (não deu pênalti de Kleber), vem outro e faz de novo. Já estamos uma b... e fazem isso. Acho ele (Daronco) bom árbitro, educado, bom até, mas naquele lance é absurdo. Ele disse que o adicional estava me olhando, mas e os outros? É muito absurdo, a trajetória mudou completamente. Ia para o canto que eu fui e foi para o meio depois que bateu no pé direito do Juan”, ressaltou o goleiro.

O lance aconteceu aos 30 minutos do primeiro tempo, quando o próprio Rogério cometeu pênalti em Dinei e Juan foi para a cobrança. O lateral esquerdo foi muito vaiado pela torcida do ex-clube, escorregou no momento da batida e desviou a bola com o pé direito antes de bater de canhota e vencer Ceni para então fazer 1 a 1 no placar. Os tricolores ainda reclamaram de dois toques de mão na grande área que o árbitro não teria flagrado.

“Ficou claro que ele deu os dois toques, todo mundo viu. Além de lutar contra o momento ruim, contra o adversário, ainda tem a arbitragem, aí fica difícil”, lamentou Luis Fabiano, que foi complementado por Rogério Ceni: O futebol é muito parelho, um lance desse deixa muito complicado. São seis árbitros e ninguém vê, ninguém pode ajudar”.

Além de cometer o pênalti que colocou em risco a vitória do São Paulo neste sábado, Rogério Ceni ainda recebeu o terceiro cartão amarelo e desfalcará a equipe no duelo contra o líder Cruzeiro. A partida está marcada para as 21h50 (de Brasília) de quarta-feira, no Mineirão.

Apesar do grande problema que terá de resolver para o jogo em Belo Horizonte, o técnico Muricy Ramalho preferiu esperar pela reapresentação do grupo na segunda-feira para começar a definir o substituto do arqueiro. Denis e Renan Ribeiro disputam a vaga.

"Agora nao é hora de falar de time. Não tenho nem cabeça para falar disso. Já penso 24 horas por dia no meu trabalho, nem faço outras coisas mais. Nesse mundo do futebol o cara nao vive. Tem que ter calma para analisar essas coisas", declarou o comandante.

O capitão também foi personagem no reencontro com Ney Franco. Enquanto a maioria do elenco cumprimentou o ex-treinador antes da partida, apenas Ceni e o volante Fabrício, desafetos declarados, não se dirigiram ao banco de reservas dos visitantes.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade