Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Sampaio Corrêa empata em Macaé e retorna à Série B do Brasileiro

Macaé (RJ)

O Sampaio Corrêa está de volta à Série B do Campeonato Brasileiro. Na noite deste sábado, a Bolívia Querida empatou com o Macaé, no estádio Cláudio Moacyr, pelo placar de 1 a 1, e garantiu a vaga na segunda divisão nacional. Porém, os torcedores maranhenses passaram sufoco. O Alvianil Praiano, precisando reverter o placar de 5 a 3, sofrido em São Luís, saiu na frente com gol do centroavante William, no primeiro minuto da segunda etapa. Mas Eloir, aos 11, marcou o tento do acesso tricolor, após uma grande jogada de Cleitinho. Agora, os comandados de Flávio Araújo, já garantidos nas semifinais da competição, esperam o vencedor de Treze-PB e Vila Nova-GO. No jogo de ida, o Alvinegro de Campina Grande venceu por 1 a 0. A partida de volta será neste domingo, às 19 horas, no estádio Serra Dourada em Goiânia.

O jogo - Logo aos 30 segundos, após cruzamento na área, William escorou de peito para Ziquinha, mas o experiente atacante foi travado na hora da finalização. Aos oito minutos, novamente em bola aérea, o capitão Gedeil se desvencilhou da marcação e testou firme, mas mandou a bola à direita da trave maranhense.

Aos 10 minutos, o técnico da Bolívia Querida, Flávio Araújo, reclamou de maneira veemente com o árbitro, o mineiro Ricardo Marques Ribeiro, do quadro da Fifa, após um lance duvidoso: o veloz Lucas Silva recebeu na ponta esquerda, driblou a marcação, invadiu a área e cruzou rasteiro. Para conter a investida, o zagueiro Cléber Carioca deu um carrinho, mas acabou interceptando a assistência com o braço. Na visão do juiz, sem intenção.

Com 22 jogados, o Macaé voltou a assustar a meta de Rodrigo Ramos: Marcelo arriscou da intermediária e, caprichosamente, mandou a bola rente à trave esquerda. Aos 33, em novo ataque perigoso, o Sampaio Corrêa ficou na reclamação de um pênalti, desta vez mais evidente: o centroavante Leandro Kivel dominou a bola na área e levou uma entrada forte de Laerte, em sua perna direita. Porém, a falta ríspida foi ignorada pelo árbitro.

No final da partida, os comandados de Gérson Andreotti se lançaram ao ataque. Aos 40, Ziquinha foi lançado em velocidade, livrou a marcação e bateu da intermediária, mas o goleiro Rodrigo Ramos segurou sem sustos. No lance, o centroavante William, livre, pedia a bola na meia esquerda. Um minuto mais tarde, ignorando o fair play, o Macaé não devolveu a bola para o Sampaio Corrêa e por muito pouco não inaugurou o marcador: Marco Goiano alçou a bola na área e Marcelo testou à esquerda da meta maranhense. Após a conclusão do lance, houve muito tumulto entre os jogadores.

Ainda houve emoção reservada para o último segundo da etapa inicial: Marcelo arriscou da meia direita e viu Rodrigo Ramos defender com os pés, fazendo com que o Sampaio Corrêa fosse aos vestiários em vantagem.

No intervalo, Gérson Andreotti sacou o zagueiro Laerte e promoveu a entrada do centroavante Sérgio Júnior. A mudança surtiu efeito imediato e fez com que o Macaé chegasse ao primeiro gol, logo no minuto inicial da etapa complementar: aproveitando cruzamento da ponta direita, realizado por Daniel, o centroavante William, livre de marcação, testou com firmeza e venceu o goleiro Rodrigo Ramos.

A primeira chance de gol do Sampaio Corrêa no segundo tempo veio aos 11 minutos: em finalização colocada da intermediária, o meia Cleitinho, por muito pouco não acertou o ângulo esquerdo de Luís Henrique. Porém, três minutos mais tarde, a defesa do Macaé não conseguiu evitar uma nova investida do habilidoso camisa 10 tricolor, que construiu a jogada do empate maranhense: Cleitinho avançou pela ponta esquerda, driblou Gedeil e tocou para trás. Bem posicionado, Eloir finalizou de canhota e mandou a bola no canto esquerdo do arqueiro macaense, deixando o marcador na igualdade.

Precisando de dois gols, o Macaé seguiu pressionando. Aos 21 minutos, o meia Nórton arriscou da intermediária e levou perigo a Rodrigo Ramos. No contragolpe, Lucas avançou em velocidade, invadiu a área, ganhou a dividida do goleiro Luís Henrique mas conduziu a bola com o braço antes de concluir a bola pro gol. O segundo tento maranhense foi bem anulado pelo assistente Altemir Hausmann, também do quadro da Fifa.

Aos 32 minutos, o Macaé voltou a criar uma boa chance de perigo com a sua principal arma: os chutes potentes de Marcelo. O camisa 7 arriscou da intermediária e um desvio na zaga fez com que a finalização, por pouco, não encobrisse Rodrigo Ramos. Com 40 jogados, Marco Goiano aproveitou um escanteio da ponta esquerda e finalizou de primeira, obrigando o arqueiro visitante a espalmar a bola para escanteio.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade