Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Substituto de Ceni encara pressão: "Não sou mais menininho"

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Prestes a assumir a camisa 1 do São Paulo – desde que Rogério Ceni se aposente mesmo ao fim do ano –, Denis volta a ter nesta quarta-feira o raro gostinho de substituir o dono da posição antes que ele pare. Diante do Cruzeiro, em Belo Horizonte, o reserva imediato começará em campo devido à suspensão do titular.

A pressão de substituir o maior ídolo da geração são-paulina atual não é fácil. Ceni não usa a braçadeira de capitão à toa, mas porque liderou elencos em alguns dos principais títulos do clube. A tarefa por si só já seria difícil, mas tem um agravante: a equipe está apenas um ponto acima da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Mesmo assim, Denis não se acovarda.

"Tenho tempo de casa, tenho 80 jogos. Já pude demonstrar um pouco do meu trabalho. Com acertos e erros também, porque todo ser humano erra, como o Rogério erra, o Marcos (do Palmeiras) errava. Não só goleiro, como todos jogadores erram. Venho me preparando muito", diz o goleiro, sem se preocupar com os boatos de que o clube procura outro jogador para 2014.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Ceni dará lugar a Denis nesta quarta-feira, no Mineirão
"O Rogério já está há 23 anos no clube, há 15 quase como titular. Então é normal ter especulação de goleiros experientes, mas todo goleiro experiente teve que um dia começar a jogar. Não sou mais menininho, tenho 26 anos. Acho que essa é minha hora. Não me espantam essas especulações. Procuro trabalhar a cada dia para me ocupar de outra forma e não me preocupar com essas coisas", avisa.

A última atuação de Denis pelo São Paulo foi em 1º de agosto, na derrota para o Milan (pela Copa Audi, em Munique). Desde então, ele vem apenas treinando com os demais candidatos a substituto de Ceni, dentre eles o recém-contratado Renan Ribeiro. Sem saber quem será o titular na próxima temporada - e respeitando eventuais surpresas -, ele se atém ao presente.

"Já vai fazer quase cinco anos que estou me preparando para fazer meu melhor, quando as oportunidades aparecerem, fazer o que o Rogério vem fazendo. É lógico que a expectativa é muito grande, mas não consigo pensar em janeiro se tenho que enfrentar o líder do Brasileiro", salienta.

A preocupação com a partida desta quarta-feira faz sentido. Até porque, em caso de derrota, o São Paulo pode voltar à zona de rebaixamento. E Denis não quer nem pensar na hipótese de disputar a segunda divisão em seu provável primeiro ano como titular.

"Já joguei Série B, pela Ponte Preta, em 2007, e sei o quanto é difícil também. Mas, aqui no São Paulo, em momento algum, nem eu nem qualquer outro atleta pensamos em jogá-la no ano que vem", conclui o camisa 12, cujo contrato com o clube se encerra em 31 de agosto de 2016.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade