Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Técnico pede que clube renove com "goleiro" Ceni por um ano

Tossiro Neto São Paulo (SP)

A aposentadoria de Rogério Ceni ao fim do ano pode não estar tão definida quanto vinha sugerindo o goleiro ultimamente. Após a vitória de quarta-feira sobre o Náutico, na qual ele foi seguro nas raras vezes em que exigido, o técnico Muricy Ramalho se mostrou contrário e deu a entender que o jogador também não está tão convicto quanto se imagina.

"Precisamos de goleiro no ano que vem? Precisamos, e não adianta trazer do mercado, porque temos um dos melhores aqui. Que se dane pênalti, quero saber dele como goleiro. Se eu fosse diretor, eu o convenceria a ficar mais um ano. Como goleiro. Como goleiro, hein?", disse o treinador, referindo-se às críticas que o camisa 1 tem sofrido por desperdiçar quatro penalides máximas consecutivas, a última delas no clássico de domingo, contra o Corinthians.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Muricy Ramalho espera contar com o goleiro em 2014
"Quem comanda futebol não pode pensar só no emocional, no pênalti de domingo. Tem que pensar no ano que vem, por exemplo. No mercado, não tem um goleiro desse nível, do nível que ele pegou no domingo, do que pegou hoje (quarta-feira). Esse é o problema. Os caras confundem cara de linha com goleiro. Como goleiro, o que ele vem pegando é brincadeira. Está pegando cada vez mais", justificou.

O contrato atual de Ceni com o clube, renovado em 2012, vence em dezembro. Em entrevistas recentes, vinha dando a entender que não tinha dúvida sobre seu futuro. Na mais direta delas, durante a excusão pelo exterior, disse à imprensa alemã que esta seria sua última temporada. Com apoio de Muricy, no entanto, essa decisão pode mudar.

"O Rogério é um cara de personalidade forte, como eu. Ele tem opiniões. Agora, eu sei o que ele pensa. Sei que ele acha que está muito bem, mas que também sabe que as pessoas o criticam. Às vezes, não querem um cara da personalidade dele aqui mais. Tem isso. E ele meio que desanima. Mas não pode partir dele isso, tem que partir do clube", falou Muricy.

A diretoria não tem se posicionado com firmeza a respeito do assunto. Quando questionados, dirigentes respondem que o elenco conta com boas opções para substiuir o ídolo. Às vésperas da eleição presidencial, marcada para abril, a oposição tem citado o desejo de que ele continue ao menos para uma despedida no Campeonato Paulista.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade